Hergé - Cartunista


 

 

Hergé ou Georges Remi nasceu em Bruxelas no ano de 1907 e em 1921 se incorpora a unidade de escotismo "Boy-scouts" e com eles realiza sua primeira viagem a Espanha, Áustria, Suíça e Itália e em 1924 publica sua primeira historieta na revista "Le boy-Scout" onde utiliza pela primeira vez o pseudônimo de Hergé, formado pelas iniciais de seu nome invertido.

 

 

Em 1925 começa a trabalhar no diário "Le XXem Siècle", mas continua colaborando com a "Le Boy-Scout Belge", onde publica sua primeira série chamada "Totor, jefe de Patrulla de los Abejorros" (1926-1930), que já mostra o personagem Tintin em diversos aspectos.

 

 

Em 1929, Hergé lança os três primeiros álbuns: "Tintin y los Soviets", "Tintin en el Congo" e "Tintin en América" que são publicados por "Le Pett Vigtième", cujo suplemento semanal aparecem a partir de 1930. Em 1932, Hergé se casa com Germanine Kieckiens a partir de 1934, pela Ediciones Casterman publica os álbuns das aventuras de Tintin, que vão aparecendo regularmente até 1940.

 

 

Em 1936, Hergé cria uma nova série chamada "Las Aventuras de Jo, Zette y Jocko" e em 1940 a Bélgica é invadida pelas tropas alemãs, que acabam com diversas editoras e suplementos literários e a Europa também passa por um período bastante turbulento.

 

 

Somente em 1946 que o semanário belga "Tintin" volta a ressurgir regularmente e em 1950 cria os Estúdios Hergé, reunindo uma dezena de colaboradores, entre ele Bob Moor, Edgar Pierre Jacobs, Jacques Martins, entre outros e começa a publicação de vários de seus livros.

 

 

Em 1972, Hergé recebe uma homenagem oficial dos grandes ilustradores norte-americano e em 1976 é esculpida no parque de Wolvendael em Uccle, Bruxelas a estátua de Tintin e Milu esculpida por Nat Neujean. Em 1982, Hergé com 75 anos de idade é novamente homenageado pela Sociedade Belga de Astronomia, que decide batizar com seu nome um planeta descoberto em 1953, que se situa entre Marte e Júpiter.

 

 

Em 3 de março de 1983, Hergé morre deixando a sua 24ª aventura chamada "Tintin e a Alph-Art", inacabada. As histórias de Tintin foram traduzidas para mais de 50 diferentes línguas e chegam a invejável marca de mais de 200 milhões de cópia vendidas

 

Vídeo

 

Retornar/Artigos