tvsinopse.

kinghost.net

 







 


Neuza Amaral: Atriz


 

 

A atriz Neuza Amaral ficou conhecida pelos seus papéis de mulher forte, voluntariosa e muitas vezes até má, e geralmente tinha como uma característica marcante uma mecha branca  frontal em meio aos seus cabelos negros. Ela nasceu como Neusa Gouveia da Silva Amaral, na cidade de São José do Barreiro, interior de São Paulo, em 1 de agosto de 1930 e segunda sua própria biografia, teve uma infância difícil, mas agarrava-se ao que sonhava até conseguir, com muita garra, provável persistência herdada de sua mãe.

 

 

Começou sua carreira no Rio de Janeiro, mas logo se transferiu para São Paulo, onde começou a trabalhar nas rádios fazendo radionovelas e iniciou na televisão com duas novelas em 1957, "Alma da Noite" e "A Mansão dos Daltons", pela TV Record. Mais tarde participou da primeira novela diária da televisão brasileira, através da extinta TV Excelsior, canal 9, São Paulo, chamada "2-5499", uma adaptação de Dulce Santucci de um original argentino de Alberto Migré, sob a direção de Tito Di Miglio, e contou no elenco com Glória Menezes, Tarcísio Meira, Lolita Rodrigues, Neuza Amaral, Célia Coutinho e Lídia Costa, entre outros, e apresentada entre julho a setembro de 1963.

 

 

 Logo depois foi escalada para a próxima novela "Aqueles que dizem amar-se", onde interpretou a personagem Laura. No ano seguinte em "A Moça que Veio de Longe" interpretando Regina e ainda na TV Excelsior atuou nas novelas "As Solteiras...", "A Cidadela" e "Uma Sombra em Minha Vida", todas em 1964. No ano seguinte foi a vez de "A Menina das Flores", "Pecado de Mulher" e "O Céu é de Todos".

Por essa época a TV Excelsior já passava por diversos problemas financeiros, tendo que cortar muitos funcionários e programação, e também nessa época, a TV Globo iniciava as suas primeiras novelas, e logo Neusa Amaral já estava encabeçando o elenco da novela "Anastácia, a Mulher sem Destino", interpretando a personagem Helena.

 

 

 

Por esse tempo participou de seu primeiro filme "A Lei do Cão", um drama policial, ao lado de nomes como Adriana Prieto, Betty Faria, Henrique Martins, Jece Valadão e Esther Mellinger. Em 1968, interpretou Encarnacion em "Sangue e Areia" e no ano seguinte mais duas novelas "Véu de Noiva" e "A Grande Mentira", onde protagonizou a personagem Veridiana Albuquerque Medeiros, considerado por muitos autores como a primeira grande vilã da televisão brasileira.

 

 

Entre outubro de 1973 a março de 1974, atuou na novela "Os Ossos do Barão", de Jorge Andrade, sob a direção de Régis Cardoso, onde Neuza protagonizou a personagem Maria Clara, e em 1975, recebeu o Troféu APCA, por essa atuação. Desde que chegou a Rede Globo praticamente encabeçou todas as novelas que foram de 1967 a 1983, numa média de uma ou duas por ano. Em 1986, retornou na novela "Sinhá Moça" e "Brega & Chique" de 1987.

 

 

 

 

Paralelamente a novela atuou em diversos filmes nacionais tais como "Memória de um gigolô" (1970), "Os Machões" (1972), "Como é boa nossa empregada" (1973), "Quem tem medo de lobisomem?" (1975), "A Pantera Nua" (1979), "Pra frente, Brasil" (1982) e em 1984, fez o seu último filme "Amor Maldito". No final da década de 80, Neuza entrou para a política e passou a atuar como vereadora, trabalhou na secretária da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, onde implantou a política da colher de pau, em alusão à dona-de-casa, à cozinheira e à mulher.

 

 

Em sua autobiografia, Neuza reclama muito da gestão de Marluce Dias da Silva em frente à Rede Globo e se sente injustiçada após gravar várias novelas e ficar sem receber a aposentadoria. Retornou às novelas em 1987, pela Rede Manchete na novela "Tocaia Grande" no papel de uma freira e apesar de suas pendengas com Marluce, voltou a Rede Globo onde trabalhou na novela "Força de um Desejo", que foi exibida entre maio de 1999 a janeiro de 2000.

 

 

Mais ou menos por essa época passou a viver no município de Araruama, onde trabalha como controladora geral da cultura da cidade, mas tem atuado em peças teatrais e também em 2004, na novela "Senhora do Destino", em "Cobras e Lagartos" e "Pé na Jaca" em 2006. Até o encerramento deste artigo em 2012, ela estava com seus 81 anos bem vividos, cuidando de sua hortinha e de seu jardim, ao lado de seus adoráveis cachorros, e quem sabe a gente não a encontra novamente em alguma outra novela.

 

 

Novelas

 

Pé na Jaca - 2006 - Globo

Cobras e Lagartos - 2006 - Globo

Senhora do Destino - 2004 - Globo

Força de um Desejo - 1999 - Globo

Tocaia Grande 1995 - Manchete

Brega & Chique - 1987 - Globo

Sinhá Moça - 1986 - Globo

Voltei pra Você - 1983 - Globo

Paraíso - 1982 - Globo

Elas por Elas 1982 - Globo

Ciranda de Pedra 1981 - Globo

Plumas & Paetês - 1980 - Globo

Olhai os Lírios do Campo - 1980 - Globo

Cabocla - 1979 - Globo

Pecado Rasgado - 1978 - Globo

O Pulo do Gato - 1978 - Globo

Duas Vidas - 1976 - Globo

Estúpido Cupido - 1976 - Globo

O Casarão - 1976 - Globo

Bravo! - 1975 - Globo

Fogo sobre Terra - 1974 - Globo

Os Ossos do Barão - 1973 - Globo

Selva de Pedra - 1972 - Globo

O Homem que Deve Morrer - 1971 - Globo

Irmãos Coragem - 1970 - Globo

Véu de Noiva - 1969 - Globo

A Grande Mentira - 1969 - Globo

Sangue e Areia - 1968 - Globo

Anastácia, a Mulher sem Destino - 1967 - Globo

O Céu É de Todos - 1965 - Excelsior

Pecado de Mulher - 1965 - Excelsior

A Menina das Flores - 1965 - Excelsior

Uma Sombra em Minha Vida - 1964 - Excelsior

A Cidadela - 1965 - Excelsior

As Solteiras - 1964 - Excelsior

A Moça que Veio de Longe - 1964 - Excelsior

Aqueles que Dizem Amar-se - 1963 - Excelsior

2-5499 Ocupado - 1963 - Excelsior

A Mansão dos Daltons - 1957 - Record

Alma na Noite - 1957 - Record

 

Vídeo

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://www.avozdaserra.com.br/noticias.php?noticia=1404

http://pt.wikipedia.org/wiki/Neuza_Amaral

http://ondeanda.multiply.com/photos/algum/21/Neuza_Amaral

http://www.museudatv.com.br/biografias/Neusa%20Amaral.htm

 

Retornar/Artigos

 

 


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net