Outros -Trio de Ouro - Música Popular Brasileira


 

Foto - Francisco Sena e Herivelto Martins

 

A criação do Trio de Ouro está relacionada diretamente no encontro de seis pessoas com o compositor e cantor Herivelto Martins, e a história do trio começa bem antes da data de sua criação, quando em 1934, quando Herivelto e Francisco Sena formaram a Dupla Preto e Branco e gravaram alguns discos até a morte de Sena que ocorreu em 1935.

 

Foto - Nilo Chagas - Dalva de Oliveira - Herivelto Martins

 

Depois disso, por um certo tempo Herivelto passou a cantar sozinho, até ser contratado pelo Teatro da Pátria, onde no ano seguinte conheceu o cantor e compositor Nilo Chagas, e assim reativaram novamente a dupla, e também foi essa mesma época que Herivelto conheceu a jovem cantora Dalva de Oliveira, e encantado com a voz belíssima da jovem, começaram a ensaiarem juntos na tentativa de traçar novos rumos em suas carreiras.

 

 

Conta-se que certo dia o compositor Príncipe Pretinho ao ver os três cantando, incentivou-os a prosseguirem juntos, pois os três conseguiam uma sonoridade sem igual. Assim a Dupla Preto e Branco e a cantora Dalva de Oliveira passaram a se apresentar cantando, e em 1937, a os três gravaram o batuque “Itaguari” e do outro lado a marchinha “Ceci e Peri”, ambas composições de Príncipe Pretinho, que acabou se transformando rapidamente num sucesso.

 

 

Através do sucesso os três passaram a serem convidados freqüentemente a se apresentarem nas rádios, mas foi no programa de César Ladeira, na Rádio Mayrink Veiga, que pela primeira vez eles foram apresentados oficialmente como Trio de Ouro e também foram contratados. Por essa época Herivelto e Dalva começou um relacionamento amoroso.

 

 

No ano seguinte em 1938, o Trio de Ouro assinou um contrato com a gravadora Odeon e fizeram os seus primeiros discos sendo acompanhados pelo Regional de Benedito Lacerda, e no ano seguinte Dalva e Herivelto resolveram oficializar a sua vida conjugal num ritual de Umbanda. Pouco tempo depois nasceram os filhos Pery Ribeiro e Ubiratan de Oliveira Martins, assim como dava início à tumultuosa vida amorosa de Herivelto e Dalva, que ocasionou uma série de manchetes e brigas escandalosas que foram por alguns anos noticiados por diversos meios de comunicação da época.

 

 

Na década de 40, o Trio fez um grande sucesso, gravaram muitas músicas, entre as quais se destacam “Praça Onze”, composição de Herivelto e Grande Otelo, gravado através do selo Columbia, acompanhados de Castro Barbosa e o Regional de Benedito Lacerda, música que foi campeã do carnaval de 1942 e “Ave Maria no Morro”, composta por Herivelto que é uma das músicas de Herivelto mais lembradas até os dias atuais.

 

 

Em 1946 Herivelto, mesmo casado com Dalva de Oliveira, começou namoro com a aeromoça Lurdes Nura Torelly, desquitada e com um filho do casamento anterior. Em 1949, Dalva e Herivelto oficializaram a separação. Em 1952, Herivelto e Lurdes passaram a viver juntos, união essa oficializada em 1978 e a mulher com a qual Herivelto viveu até a morte de Lurdes em 1990.

 

Foto - Nilo Chagas - Noemi Cavalcanti - Herivelto Martins

 

A primeira formação do Trio de Ouro se desfez em 1950, com a saída de Dalva de Oliveira, a ainda neste mesmo ano uma nova formação teve início com Dalva sendo substituída pela cantora Noemi Cavalcanti, e gravaram as músicas “A Bahia te Espera” música de Herivelto e Chianca Chaves, que foi um grande sucesso e curiosamente anos depois foi também regravada pela própria Dalva de Oliveira, e “Caminho Certo” de Herivelto e David Nasser, que foi sucesso, cujos versos falava sobre o rumoroso relacionamento de Dalva e Herivelto.

 

Foto - Noemi Cavalcanti

 

Ainda em 1950, o Trio de Ouro gravou “Ave Maria” de Vicente Paiva e Jaime Redondo, que se tornou outro êxito e no ano seguinte lançaram a canção “Vingança” de Lupicínio Rodrigues, que também versava sobre o fim do relacionamento de Dalva e Herivelto, mas essa música somente se tornou um sucesso quando posteriormente foi regravada por Linda Batista.

 

Foto - Dalva de Oliveira

 

Nesse mesmo ano Nilo Chagas e Noemi Cavalcanti, resolveram deixar o Trio de Ouro e formar uma dupla, mas não deu muito certo e a partir de 1954, Noemi formou com sua irmã a cantora Odemi Cavalcanti a dupla sertaneja Irmãs Cavalcanti. Noemi Cavalcanti morreu no dia 26 de abril de 2001, em Bauru, São Paulo, Nilo Chagas morreu no Rio de Janeiro em 1973, aos 56 anos de idade e Dalva de Oliveira morreu vítima de uma hemorragia interna causada por um câncer em 30 de agosto de 1972, aos 55 anos de idade.  

 

Foto - Lourdinha Bittencourt - Herivelto Martins e Raul Sampaio

 

Em 1952, uma nova formação do Trio de Ouro teve início com Herivelto, Raul Sampaio e Lourdinha Bittencourt, e regravaram o sucesso “Ave Maria no Morro”, assinaram contrato com a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, onde permaneceram por dois anos e também excursionaram pelo norte do Brasil, assim como Minas Gerais e São Paulo e temporadas na Argentina, Chile, Uruguai e Peru.

 

Foto - Herivelto -Lourdinha e Raul Sampaio

 

Ainda neste mesmo ano, Lourdinha casou com o popular cantor Nelson Gonçalves, casamento esse que durou até 1959 e eles tiveram dois filhos. Ainda em 1952, o Trio de Ouro participou do filme “Está com tudo” sob direção de Luiz de Barros. Em 1957, a saúde de Lourdinha Bittencourt começou a piorar, e em 1964, o Trio de Ouro lançou o seu último disco. Por essa época o Trio de Ouro acabou por se desfazer devido aos problemas de saúde de Lourdinha, que ainda atuou na televisão como atriz nas novelas “Véu de Noiva” em 1969, “Irmãos Coragem” em 1970 e “Fogo sobre Terra” de 1974. Em 19 de agosto de 1979, Lourdinha morreu vítima de derrame cerebral aos 55 anos de idade.

 

 

Na década de 70, o Trio voltou novamente a se reunir agora com nova formação com Herivelto Martins, Raul Sampaio e a cantora Shirley Dom. O trio gravou um LP para a Funarte em homenagem à obra de Herivelto Martins e cantaram pela última vez num jantar fechado na residência de Ricardo Cravo Alvin, em 1992. Em 17 de setembro de 1992, Herivelto Martins morria aos 80 anos de idade. Em toda a existência do Trio de Ouro foram gravadas cerca de 99 discos através da Odeon, RCA Victor e Columbia, perfazendo um total de cerca de 200 músicas.

 

 

Raul Sampaio e Shirley Dom são os únicos integrantes do Trio de Ouro que ainda permanecem com saúde. Shirley por volta de 1997 foi morar em Paris e continua cantando e Raul Sampaio, hoje com mais de 80 anos e mora em Marataízes, no sul de Espírito Santo, e também participa de noitadas de samba na “Catedral do Samba”, acompanhado de seus amigos.

 

 

Em 1966, Raul Sampaio teve a sua canção “Meu Pequeno Cachoeiro” transformada em Hino Oficial de Cachoeiro de Itapemerim, cidade onde nasceu e em 1969, Roberto Carlos gravou a música tornando-a famosa no Brasil inteiro. Recentemente, em 2012 participou do programa Sr. Brasil, onde cantou suas músicas mais famosas e homenageado por Rolando Boldrin.

 

Discografia Parcial Trio de Ouro

 

 

Quem Mora na lua! / Madalena se Zangou – 1938 – Odeon 78 rpm

Deixa a Baiana Sambar / Japonezinha – 1939 – Columbia 78 rpm

Madalena Chorou – 1940 – Columbia 78 rpm

Toma Cuidado / Noite de Fogueiro – 1941 – Columbia 78 rpm

Ave Maria no Morro / Festa de Preto – 1942 – Odeon 78 rpm

Pau Pereira / Sem Ela – 1943 – Odeon 78 rpm

Pescaria / Vamos Dançar Maria – 1944 – Odeom 78 rpm

Cabrocha Boa / Venderam o Morro – 1945 – Odeon 78 rpm

Não me Conheço Mais / Fala Claudionor – 1946 – Odeon 78 rpm

Salve a Princesa / Lágrima – 1947 – Odeon 78 rpm

Minueto / Apita Quem Pode – 1948 – Odeon 78 rpm

Cachopa / Vem Meu Amor – 1949 – Odeon 78 rpm

Ai Morena / Quando a Idade Chegar – 1950 – RCA Victor 78 rpm

Olhos Verdes / Rei da Vila – 1951 – RCA Victor 78 rpm

Perdoar / Toureiro Valente – 1952 – RCA Victor 78 rpm

História Cabocla / Festa no Sul – 1953 – RCA Victor 78 rpm

Mironga de Moça Branca / A Baiana Sambou – 1954 – RCA Victor 78 rpm

Última Homenagem / Louca – 1955 – RCA Victor 78 rpm

Rancho da Serra / Cidadão Bolero – 1956 – RCA Victor 78 rpm

O Samba Tem / Se Adormeço – 1957 – RCA Victor 78 rpm

Engole ele Paletó / Adeus Mangueira – 1958 – RCA Victor 78 rpm

E Depois / A Felicidade – 1959 – Carnaval 78 rpm

Quando Chega Fevereiro / Quantas Lágrimas – 1960 – Polydor 78 rpm

Jurei, Jurei / Quem Lava o Morro – 1962 – Copacabana 78 rpm

Capital do Samba / Pra Meu Castigo – 1964 – Som 78 rpm

 

Vídeo

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Trio_de_Ouro

http://cliquemusic.uol.com.br/artistas/ver/trio-de-ouro

http://www.dicionariompb.com.br/trio-de-ouro

http://pt.wikipedia.org/wiki/Herivelto_Martins

http://www.letras.com.br/biografia/herivelto-martins

http://www.mpbnet.com.br/musicos/dalva.de.oliveira/

http://cliquemusic.uol.com.br/artistas/ver/dalva-de-oliveira

http://cifrantiga2.blogspot.com/2008/03/lourdinha-bittencourt.html

http://www.dicionariompb.com.br/raul-sampaio

 

Retornar/Artigos