5

 



 

tvsinopse.

kinghost.net

 







 

 


Yes - Banda de Rock Progressivo Britânica


 

 

Yes é o nome de uma banda britânica de rock progressivo, que está na ativa até os dias de hoje, a mais de 40 anos e nasceu nos fins da década de 60. A sua história está ligada diretamente a vida do vocalista Jon Anderson e do baixista Chris Squire e tudo começou quando Jon Anderson se juntou ao conjunto The Warrior onde ele e seu irmão Tony passou a atuar como vocalista cantando em diversos locais da Inglaterra, e depois chegaram a gravar dois singles para a gravadora Decca.

 

Chris Squire

 

Jon Anderson

 

Em 1967, Jon deixou o grupo e lançou mais dois singles no ano seguinte, e depois passou a cantar por um breve momento nos grupos The Gun e The Open Mind. Em março deste mesmo ano que Jon conheceu Chris Squire que se juntou a ele num grupo chamado Mabel Greer´s Toyshop. Pouco tempo depois Jon, Chris Squire e também a Peter Banks, que também já havia tocado no Mabel Greer´s Toyshop resolveram formar uma nova banda, juntamente com o baterista Bill Bruford e o tecladista Tony Kaye e assim nascia o Yes, que passou a cantar nos bares e cafés canções dos The Beatles, The 5th Dimension e Traffic.

 

 

No início de 1969, eles conseguiram assinar um contrato com Atlantic Record e lançaram o seu primeiro álbum em agosto deste mesmo ano, contendo composições suas, mas também interpretações de músicas como "Every Little Thing" dos The Beatles e "I See You" dos The Byrds. Por esse tempo o colunista da revista Melody Maker, Tony Wilson apontou o Yes e o Led Zeppelin como uma das bandas com grandes probabilidades de chegarem ao sucesso. Após a gravação do disco, o Yes saiu para uma turnê pela Escandinávia juntamente como o The Small Faces em fevereiro de 1970 e chegaram ao seu primeiro concerto solo de importância no Queen Elizabeth Hall, em Londres, em 21 de março de 1970.

 

 

Depois entraram novamente no estúdio para gravar o seu segundo disco que chegou às lojas do Reino Unido em junho de 1970, denominada "Time and a Word" e contava inclusive com a participação de uma orquestra, contendo oito faixas, dois dos quais covers como a música "Everydays" de Buffallo Springfield e "No Opportunity Necessary No Experience Needed" de Richie Havens. Peter Banks não estava satisfeito principalmente com a utilização orquestral e acabou saindo do grupo antes mesmo do lançamento do álbum e foi substituído por Steve Howe.

 

 

Em janeiro de 1971 chegava às lojas o terceiro álbum do grupo "The Yes Album" contendo seis canções totalmente originais que a banda havia escrito. Steve Howe que acabava que entrar no grupo, em substituição a Peter Banks rapidamente se integrou ao som do Yes e passou a tocar uma variedade de instrumentos, incluindo um alaúde. O álbum foi muito bem recebido no Reino Unido chegando à quarta colocação e em 40° lugar na Billboard 200 nos Estados Unidos.

 

 

Logo em seguida o grupo partiu para uma turnê pela Europa juntamente com o grupo Iron Butterfly por 28 dias. Nesse mesmo tempo o Yes adquiriu uma porção de equipamentos do Iron Butterfly que ajudou bastante a melhorar seu desempenho no palco e assim chegaram aos Estados Unidos e fez uma apresentação no dia 24 de junho de 1971, no Edmonton Gardens, como um grupo de apoio ao Jethro Tull.

 

 

Por essa época, o organista do grupo Tony Kaye começou a entrar em atrito com Steve Howe e acabou deixando o grupo e foi substituído pelo tecladista Rick Wakeman, um jovem de formação clássica, mas que tinha uma experiência em alguns grupos de rock como os Strawbs, por exemplo. A entrada de Rick Wakeman ao grupo foi de grande importância e inovação, pois ele era um excelente músico e versátil capaz de tocar diversos outros instrumentos como o melotron, Moog e até piano de cauda.

 

 

Com essa nova formação o grupo entrou no estúdio novamente e em 26 de novembro de 1971, lançaram o quarto álbum do grupo "Fragile", contendo nove faixas, incluindo estruturas musicais de música clássica como um trecho de "O Pássaro de Fogo" de Igor Stravinsky, que geralmente era tocada no início de seus shows. Cada membro do grupo realizou uma faixa solo no álbum, assim como marcou o início com o artista plástico Roger Dean, que passou a desenhar o logotipo do grupo e mais tarde os cenários da capa.

 

 

O álbum chegou à sétima colocação no Reino Unido e a quarta colocação nos Estados Unidos quando foi lançado em janeiro de 1972, o primeiro disco exclusivo para o mercado americano do Yes. A primeira música do álbum, "Roundabout" foi lançada também separadamente num disco single que chegou ao 13° lugar no Billboard Hot 100 Singles Chart nos Estados Unidos. Em fevereiro de 1972, o Yes gravou outro disco cover single contendo a música "America" de Paul Simon, que chegou ao 46° lugar nos Estados Unidos.

 

 

O quinto álbum do grupo chegou às lojas em setembro de 1972, e denominado "Close to the Edge", que foi um dos trabalhos mais ambiciosos até o momento. A faixa título, por exemplo, tinha 19 minutos de duração e ocupava um lado inteiro do disco de vinil e combinava elementos de música clássica, rock psicodélico, pop e jazz. O álbum foi um sucesso e chegou à terceira colocação nos Estados Unidos e em quarto no Reino Unido.

 

Alan White

 

A música "And You and I" também foi lançada como um single e chegou a 42° colocação nos Estados Unidos. Depois da gravação e mesmo o grupo alcançando cada vez mais sucesso, o baterista Bill Bruford deixou o Yes no verão de 1972 e foi para o King Crimson, e em seu lugar veio o baterista Alan White, que havia tocado no Plastic Ono Band. Ele era um amigo de Anderson e logo que entrou no grupo já partiu com o grupo numa turnê entre 1972 a 1973.

 

 

Em maio de 1973, chegava às lojas o álbum triplo "Yessongs" com músicas ao vivo de suas apresentações no ano anterior, onde já apresentava o baterista Alan White em algumas faixas. Este álbum chegou à sétima colocação no Reino Unido e em 12° lugar nos Estados Unidos. Um concert-film também foi realizado e lançado em 1975, onde documentava seus shows no Rainbow Theatre em dezembro de 1972, contendo muitos efeitos psicodélicos em seus visuais.

 

 

Ainda no ano 1973, o Yes entrou novamente no estúdio e passou a trabalhar no sexto álbum do grupo, "Tales from Topographic Oceans", que chegou às lojas em 14 de dezembro deste mesmo ano. Este álbum marcou uma mudança no som do grupo, baseadas nas interpretações de Jon Anderson nas escrituras dos Shastra baseada no livro "Paramahansa Yogananda".

 

 

O álbum foi um sucesso e chegou ao primeiro lugar no Reino Unido por seis semanas e nos Estados Unidos chegou à sexta colocação e ganhou pela quarta consecutiva o disco de ouro. Por esse tempo também começaram as divergências com Rick Wakeman e logo depois da turnê de 1973-1974, Rick deixou o grupo e partiu para fazer o seu álbum solo "Journey to the Centre of the Earth", que liderou as paradas de sucessos no Reino Unido em maio de 1974.

 

 

Para substituir Rick Wakeman entrou o tecladista suíço Patrick Moraz, um músico com influências de eletro-jazz, que também já havia participado do grupo Nice e que chegou durante as gravações do sétimo álbum "Relayer", que na primeira faixa do lado A, narrava uma grande batalha cósmica inspirada no livro de Leon Tostoi "Guerra e Paz" na música "The Gates of Delirium" com duração de aproximadamente 23 minutos. Também foi lançado um disco single com a música "Soon" que chegou ao quarto lugar no Reino Unido e em quinto nos Estados Unidos.

 

 

Entre 1974 a 1975, o grupo embarcou numa turnê mundial e outra americana em 1976, onde cada um dos membros do grupo lançou um álbum solo, embora esses álbuns não conseguirem boa aceitação comercial. Chris Squire também lançou seu disco solo "Fish out of Water" que foi muito elogiado pela crítica. Por esse tempo, o Yes lançou a coletânea "Yesterdays" lançado em 1975, que continha faixa dos primeiros álbuns do grupo, além da sua versão de "America" de Paul Simon.

 

 

Logo depois o Yes entrou no estúdio para a gravação do oitavo álbum da banda "Going for the One" e durante esse período de gravação, Patrick Moraz foi demitido e Rick Wakeman retornou ao grupo. O disco chegou às lojas em julho de 1977 e rapidamente liderou as paradas de sucesso no Reino Unido por duas semanas e chegou à oitava colocação nos Estados Unidos.

 

Roger Dean

 

Também foi gravado um single no Reino Unido com a música "Wonderous Stories" que chegou a sétima colocação no Reino Unido. Curiosamente este disco não apresentou a capa pelo artista plástico Roger Dean, apesar do logotipo Yes desenhado por ele continuar a aparecer. Dean se aposentou e a empresa de design Hipgnosis assumiu a realização da capa do novo álbum.

 

 

Após uma turnê, o Yes entrou novamente no estúdio para a gravação de seu nono álbum "Tomato" que chegou às lojas em 20 de setembro de 1978. Este álbum apresentava oito canções mais curtas com um som mais forte de rock e em certos pontos com um estilo semelhante ao New Wave, sinal de que o som do Yes estava começando a mudar. A capa também mudou e apesar de manter o logotipo criado por Dean, era uma combinação de fotografia combina e manipulada com elementos gráficos.

 

Rick Wakeman e Jon Anderson

 

Apesar das críticas o álbum chegou à oitava posição no Reino Unido e em 10° lugar nos Estados Unidos. Depois o Yes embarcou numa bem sucedida turnê entre 1978-1979. Em outubro de 1979, a banda se reuniu em Paris com o produtor Roy Thomas Baker para discutir os problemas interno da banda com a divisão de pensamentos diferentes, com Anderson e Wakeman sendo favorável a uma abordagem mais fantástica e delicada, enquanto o resto preferia um som de rock mais pesado.

 

 

Assim Jon Anderson e Rick Wakeman saíram do grupo. No lugar de Jon Anderson veio o cantor Trevor Horn e no lugar de Wakeman veio o tecladista Geoffrey Downes e assim em 1980, foi lançado o novo disco "Drama" contendo um som mais pesado. O álbum chegou à segunda posição no Reino Unido e ficou em 18° lugar nos Estados Unidos e depois o grupo partiu para uma turnê pelos América do Norte e Reino Unido, onde recebeu reações mistas.

 

 

Depois deste disco o cantor Trevor Horn resolveu sair do Yes e partir para uma carreira na produção musical. Por esse período eles resolveram não continuar o Yes e cada um partiu para seus trabalhos pessoais por volta de dezembro de 1980. Por esse tempo, foi lançado um álbum de compilações ao vivo de apresentações entre 1976 a 1978, denominado "Yesshows" contendo sete músicas, com Jon Anderson, Chris Square, Patrick Moraz, Rick Wakeman, Alan White e Steve Howe, que alcançou 22° lugar no Reino Unido e 43° nos Estados Unidos, e em março de 1981, e foi anunciado o fim do Yes.

 

 

Depois de cada um seguir seu caminho por certo tempo até que Jon Andersons, Chris Square, Tony Kaye, Alan White e Trevor Rabin se reuniram e resolveram gravar mais um álbum do Yes que foi lançado em novembro de 1983, com o título de "90.125", que se tornou o álbum mais vendido do Yes com mais seis milhões de cópias, assim como passou a ser conhecido e aproximar do público mais jovem. O Yes também ganhou o seu primeiro e único prêmio Grammy na categoria de Best Rock Instrumental Performance, em 1985, além de outros prêmios. Depois saíram para uma turnê entre 1984 a 1985, considerado o mais lucrativo de sua história e gerou até um concert film "9012Live" sob a direção de Steven Soderbergh.

 

 

Depois o grupo voltou ao estúdio em 1986, para a gravação de seu décimo segundo álbum denominado "Big Generator", com gravações na Itália, Inglaterra e Estados Unidos. O álbum chegou às lojas em setembro de 1987 e chegou ao 17° lugar no Reino Unido e em 15° lugar nos Estados Unidos e chegou a ser indicado para mais um prêmio Grammy, mas não faturaram, no entanto as músicas "Love Will Find a Way", "Rhythm of Love" e "Shoot High, Aim Low" lançadas em singles tiveram ótimas colocações nas paradas de sucesso. Depois realizaram uma turnê entre 1987 a 1988, que foi também um grande sucesso.

 

 

No final de 1988, começaram os desentendimentos novamente no grupo e Jon Anderson saiu do Yes e partiu para um novo projeto juntamente com Rick Wakeman, Steve Howe e Bill Bruford e o grupo ficou conhecido como Anderson Bruford Wakeman Howe ou ABWH para se distanciaram do nome Yes, e assim permaneceram juntos entre 1988 a 1990.

 

 

Depois Anderson, Bruford, Wakeman e Howe (ABWH) e reuniram novamente com o Yes, agora formado por Chris Squire, Trevor Rabin, Alan White e Tony Kaye, e gravaram o décimo terceiro álbum do Yes intitulado "Union", onde cada um dos grupos fez suas próprias canções, assim como todos os oito membros não tocaram ao mesmo tempo.

 

 

O disco foi um sucesso e chegou a vender aproximadamente 1,5 milhões de cópias em todo o mundo, chegando ao sétimo lugar no Reino Unido e em 15° lugar nos Estados Unidos. Uma turnê aconteceu entre 1991 a 1992 para divulgar o disco reunindo os oito integrantes. Após o término da turnê, Bill Bruford resolveu não continuar junto ao grupo e retomou para o seu próprio projeto de jazz.

 

 

Em março de 1994, chegou às lojas o álbum "Talk", com Jon Anderson, Chris Squire, Tony Kaye, Alan White e Trevor Rabin e a capa desenhada pelo artista plástico Peter Max. O disco foi gravado em sistema digital e o álbum chegou ao 20° lugar no Reino Unido e em 33° lugar nos Estados Unidos, entretanto a música "The Calling" chegou ao segundo lugar na Billbord americana. O Yes também fez uma turnê em 1994, tendo Billy Sherwood na guitarra e adicionais teclados, e depois da turnê, o tecladista Tony Kaye e o guitarrista Trevor Rabin resolveram deixar o grupo e partiram para outros projetos.

 

 

Em 1997, o Yes integrado por Jon Anderson, Chris Squire, Billy Sherwood, Alan White e com a volta de Steve Howe ao grupo gravaram o álbum "Open Your Eyes", contendo 11 músicas, que chegou às lojas em novembro de 1997, mas não se transformou num sucesso e chegou somente em 151° lugar nos Estados Unidos e no Reino Unido nem chegou às paradas. Somente o single "Open Your Eyes" chegou ao 33° lugar na Mainstream Rock. Mesmo assim o Yes fez uma turnê entre 1997 a 1998, apresentando somente algumas músicas deste álbum, sendo que maioria era de materiais anteriores e também contou com a participação do tecladista russo Igor Khoroshev, que depois passou a integrar o Yes.

 

 

O décimo oitavo álbum do Yes de estúdio denominado "The Ladder" chegou às lojas em setembro de 1999, contendo 11 músicas com o tecladista Igor Khoroshev como novo integrante da banda. O álbum foi gravado entre fevereiro a maio de 1999 no Armoury Studios em Vancouver, no Canadá, com todos os membros satisfeitos com os resultados finais, mas o projeto acabou com a morte súbita do produtor Fairbairn, pouco antes da conclusão dos vocais finais.

 

 

O disco acabou sendo concluído até seu lançamento em 20 de setembro de 1999, com todas as músicas foram compostas por Jon Anderson, Steve Howe, Billy Sherwood, Chris Squire e Igor Khoroshev. Depois de uma turnê entre 1999 a 2000, o guitarrista Billy Sherwood deixou o grupo e pouco tempo depois foi a vez Igor Khoroshev também deixar o Yes.

 

 

Em 2001, chegou o décimo nono álbum de estúdio do Yes denominado "Magnification", contendo 10 músicas, com Jon Anderson, Steve Howe, Chris Squire e Alan White e também contou com músicas orquestrais compostas e conduzidas por Larry Groupê. Por essa mesma época, Rick Wakeman anunciou sua volta ao Yes e então gravaram o álbum "Keystudio", também lançado em 2001, contendo sete músicas. Depois o grupo saiu numa turnê entre 2002 a 2003 e depois outra em 2004.

 

 

Após completar a turnê em setembro de 2004, o Yes ficou inativo por quatro anos e depois voltaram a fazer turnês e em 2011, chegou o álbum mais recente do Yes intitulado "Fly from Here" contendo 11 músicas gravadas por Chris Squire, Steve Howe, Alan White, Geoff Downes, David Benoit e Trevor Horn. O álbum não contou com Rick Wakeman e nem Jon Anderson e chegou em 30° lugar no Reino Unido e em 36° nos Estados Unidos pela Billboard.

 

 

No final de 2011, a gravadora Frontiers Records lançou o CD e DVD ao vivo "In the Present - Live from Lyon" lançado em novembro deste mesmo ano. Ao longo de sua carreira, o Yes lançou 21 álbuns em estúdio e nove álbuns de compilações ao vivo de seus espetáculos, e suas vendas ultrapassaram a casa de 50 milhões de cópias em todo o mundo.

 

Vídeo

Clique e assista o vídeo

 

 

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://en.wikipedia.org/wiki/Yes_(band)

http://www.progarchives.com/artists.asp?id=105

http://www.johmcferrinmusicreviews.org/yes.html

http://classicrock.about.com/od/bandartistprofil2/p/Yes_Profile.htm

 

Retornar/Artigos

 

 


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net