5

 



 

tvsinopse.

kinghost.net

 







 

 


Yul Brynner - Ator - Teatro - Cinema - Televisão


 

 

O ator Yul Brynner nasceu como Yuliy Borisovich Bryner em Wladvostok, na República do Extremo Oriente, atual Primorsky Krai, Rússia, no dia 11 de julho de 1920, filho do engenheiro de minas Boris Yuliyevich Bryner e de Marousia Dimitrievna Blagovidova que era filha de um médico e estudara também para ser atriz e cantora.

 

 

Após certo tempo seu pai Boris abandonou a família e sua mãe pegou Yul e sua irmã Vera Bryner e foram para a cidade de Harbin, na China, onde os dois passaram a frequentar a escola gerida pela Associação Cristão de Moços (ACM) e por volta de 1934, todos eles foram para Paris, na França. Em 1940, Yul Brynner retornou a China e logo depois foi para a cidade portuária de Dalian de onde tomou o navio SS Presidente Cleveland e chegou aos Estados Unidos em 25 de outubro de 1940.

 

 

 

Começou a trabalhar como modelo e provavelmente por essa época começou a também fazer experimentos fotográficos que mais tarde permitiu a ele escrever dois livros com seus trabalhos fotográficos, e também desde criança, Yul cultivou sua paixão pela música e se tornou um excelente guitarrista e cantor.

 

 

Quando estava ainda na Europa, antes de iniciar sua vida nos Estados Unidos, muitas vezes tocou e cantou nas casas noturnas parisienses para sobreviver e mais tarde, Yul teve a oportunidade de mostrar esses talentos cantando no filme "Os Irmãos Karamazov" e em 1967, gravou o álbum "The Gypsy and I: Yul Brynner Sings Gypsy Songs", juntamente com Aliosha Dimitrievitch.

 

 

Em dezembro de 1941, começou a fazer um pequeno estágio na Broadway na peça "Twelfth Night" e em fevereiro de 1943, também outro na peça "The Moon Vine” e paralelamente a essas atividades e durante a Segunda Guerra Mundial atuou como locutor de rádio da língua francesa, e como comentarista para o US Office of War Information Broadcasting, que transmitia propaganda para a França ocupada.

 

 

 

Após o término da guerra começou a trabalhar dirigindo pequenas produções para televisão ao vivo e também atuou entre fevereiro a junho de 1946, na Broadway, na peça "Lute Song". Em 1949, conseguiu trabalhar em seu primeiro filme denominado "Por of New York", um semidocumentário sob a direção de László Benedek.

 

 

O filme narrava à história de dois agentes federais, um da Alfândega e o outro de Narcótico que vão investigar uma distribuição de ópio num navio no Porto de Nova Iorque, contrabandeado por traficantes de drogas. O elenco contou com Scott Brady, Richard Rober, Yul Brynner e KT Stevens e foi lançado nos Estados Unidos em 28 de novembro de 1949.

 

 

Em 1951, Yul Brynner retornou a Brodway com a peça "The King and I", que ficou em cartaz entre 19 de março de 1951 a 17 de dezembro de 1955 e foi durante esta peça que Brynner resolveu raspar a cabeça para interpretar o papel e assim continuou por toda sua carreira. Muito acreditam que Yul era totalmente calvo, mas isso não é verdade, ele raspava a cabeça e isso acabou se tornando a sua marca registrada e quando necessário usava uma peruca. O mesmo fenômeno acontecia com o ator Telly Savallas famoso pela série "Kojak" da televisão, que também não era calvo.

 

 

O sucesso da peça na Broadway levou Yul Brynner a ser convidado para representar o mesmo personagem na versão cinematográfica de "The King and I" sob a direção de Walter Lang e produzido por Charles Brackett e F. Darryl Zanuck, com roteiro de Ernest Lehman, baseado no musical de mesmo nome de Richard Rodgers e Oscar hammerstein II, que por sua vez foi baseado no livro "Anna and the King of Siam" de Margaret Landon, publicada pela primeira vez em 1944.

 

 

O elenco contou com Yul Brynner como o Rei do Sião; Deborah Kerr como Anna Lenowens; Rita Moreno como Tuptim; Terry Saunders como Lady Thiang e Patrick Adiarte como Principe Chulalongkorn, entre outros. Basicamente a história do filme conta a história de uma jovem chamada Anna Leonowens com a sua cultura ocidental que se torna professora da escola dos filhos do rei Mongkut do Sião por volta de 1860.

 

 

O espetáculo foi indicado para nove Oscar e ganhou cinco, incluindo de Melhor Ator para Yul Brynner e dois Globo de Ouro, uma na categoria de Melhor Filme e outra na categoria de Melhor Atriz para Deborah Kerr, e também considerado pela American Film Institute como um dos Cem Melhores Filmes de Todos os Tempos.

 

 

Além do Oscar, Yul Brynner também ganhou um prêmio Tony pela sua atuação com a mesma peça no teatro, e com isso ele é apenas uma das nove pessoas que ganharam o prêmio Tony e um Oscar para o mesmo papel. Yul Brynner também atuou numa versão para a televisão "Anna and the King" exibida pela CBS nos Estados Unidos em 1972, com 13 episódios e nesse espetáculo Yul contracenou com Samantha Eggar como Anna Owens.

 

 

 

Rapidamente Yul Brynner ganhou o status de superstar e nesse mesmo ano de 1956, participou do filme "Os Dez Mandamentos" contracenando ao lado de Charlton Heston no papel principal e até os dias atuais continua sendo um das grandes bilheterias da história do cinema. O espetáculo foi dirigido por Cecil B. DeMille, o ator Charlton Heston foi indicado na categoria de Melhor Ator para o prêmio Globo de Ouro e Yul Brynner ganhou da National Board of Review Award como Melhor Ator pelo seu papel de Ramsés, juntamente com outros papéis em "The King and I" e "Anastacia".

 

 

Ainda em 1956, participou do filme "Anastacia", um drama histórico sob a direção de Anatole Litvak para a 20th Century Fox, onde Yul Brynner contracenou com Ingrid Bergman e Helen Hayes, entre outros. O espetáculo narra a história de uma mulher confusa no ano de 1920, na França, que acolhido por um grupo de expatriados russos e supostamente a grã-duquesa Anastasia Nikolaevna da Rússia, filho de Czar Nicolau II da Rússia.

 

 

A atriz Ingrid Bergman recebeu o Oscar como Melhor Atriz e a trilha sonora de Alfred Newman e uma indicação ao prêmio de Trilha Sonora Original. O compositor e maestro Newman foi indicado, mas não ganhou, porém o disco tornou-se muito popular depois do lançamento do filme em 13 de dezembro de 1956, nos Estados Unidos.

 

 

Depois vieram outros sucessos como "The Brothers Karamazov", "The Buccaneer", "Solomon and Sheba", "The Magnificent Seven", "Taras Bulba", "Morituri" e "The Madwoman of Chaillot" nos anos 50 e 60, e na década seguinte vieram outros sucessos, e fez seu penúltimo filme em 1976, onde participou do filme "Death Rage", uma produção italiana sob a direção de Antonio Margheriti, onde Yul Brynner interpretou o personagem principal Peter Marciari, ao lado de Barbara Bouchet, Martin Balsam, Massimo Ranieri e Giancarlo Sbragia.

 

 

 

Yul Brynner ainda apareceria ainda neste mesmo de 1976, no filme "Futureworld" uma sequencia de outro filme de ficção "Westworld" de 1973, que foi protagonizado por ele como um robô pistoleiro de um parque de um parque temático. Em "Futureworld" nenhum dos membros do elenco do filme original aparece, com exceção de Yul Brynner rapidamente durante uma sequencia de um sonho. O elenco principal do filme foi interpretado por Peter Fonda, Blythe Danner, Arthur Hill e John Ryan, entre outros. O filme tentou tomar a trama em uma direção diferente do filme original "Westworld", mas não agradou nem aos críticos nem o público.

 

 

Nos anos 70, Yul Brynner retornou a Brodway onde fez as peças "Home Sweet Homer" em 1976, e o "revival" de "The King and I", apresentada entre maio de 1977 a dezembro de 1978, além de turnê nacional. Nos anos 80, pouco antes de sua morte e já ciente de seu câncer no pulmão retornou novamente com outro "revivel" da peça e foi apresentada entre 7 de janeiro a 30 de junho de 1985. Ainda neste mesmo ano, Yul Brynner recebeu um Tony Award Especial pelos seus 4.525 apresentações de "The King and I".

 

Yul Brynner e Virginia Gilmore

 

Yul Brynner foi casado por quatro vezes, a primeira com a atriz Virginia Gilmore com quem permaneceu entre 1944 a 1960 e tiveram o filho Yul Brynner II que nasceu em 1946, e apelidado de "Rock" e que é atualmente um historiador romancista, professor universitário e autor de vários livros. Yul também teve a filha Lark Brynner em 1959, nascida fora de seu casamento oficial e ela foi criada pela mãe.

 

Yul Brynner e Doris Kleiner

 

Depois Yul Brynner casou novamente com a modelo chilena Doris Kleiner em 1960 e tiveram a filha chamada Victoria Brynner em novembro de 1962 e esse casamento durou até 1967. Sua terceira esposa foi a socialite Jacqueline Thion de La Chaume com quem permaneceu até 1981.

 

Yul Brynner e Kathy Lee

 

Durante esse período eles adotaram duas crianças vietnamitas, Mia Brynner em 1974 e Melody Brynner em 1975, e finalmente aos 63 anos casou pela quarta vez com a bailarina Kathy Lee, de apenas 24 anos de idade, com quem permaneceu até sua morte em 10 de outubro de 1985, em Nova Iorque, vítima de câncer de pulmão.

Ao saber que está com câncer de pulmão e restando pouco tempo de vida, Yul Brynner em janeiro de 1985, portanto nove meses antes de sua morte, concedeu uma entrevista ao programa de televisão "Good Morning America" exibida pela ABC, onde expressou seu desejo de fazer um comercial antitabagismo e assim um clipe dessa entrevista foi utilizada pela American Cancer Society e lançado após a sua morte.

 

 

Yul Brynner recebeu uma estrela no famoso Hollywood of Fame e a sua casa de infância em Vladivostok é atualmente um museu. Ele recebeu a naturalização norte-americana em junho de 1965, pela Embaixada dos Estados Unidos, em Berna, Suíça e seu corpo atualmente está enterrado sob os cuidados de Saint-Michel-de-Bois-Aubry, um mosteiro ortodoxo russo, localizado perto da cidade de Luze, na França.

 

Filmografia

 

 

Futureworld - 1976

Death Rage - 1976

The Ultimate Warrior - 1975

Westworld - 1973

Night Fight from Moscow - 1973

Fuzz - 1972

Catlow - 1971

Romance of a Horsethief - 1971

The Light at the Edge of the World - 1971

Adiós, Sabata - 1971

The Magic Christian - 1969

The Madwoman of Chaillot - 1969

Battle of Nerelva - 1969

The File of the Golden Goose - 1969

The Picasso Summer - 1969

Vila Rides - 1968

The Long Duel - 1967

The Double Man - 1967

Triple Cross - 1966

Return of the Seven - 1966

The Poppy Is Also a Flower - 1966

Cast a Giant Shadow - 1966

Morituri - 1965

Invitation to a Gunfighter - 1964

Flight from Ashiya - 1964

King of the Sun - 1963

Taras Bulba - 1962

Escape from Zahrain- 1962

Goodbye Again - 1961

The Magnificent Seven - 1960

Suprise Package - 1960

Testament of Orpheus - 1960

Once More, with Feeling! - 1960

Solomon and Sheba - 1959

The Sound of the Fury - 1959

The Journey - 1959

The Buccaneer - 1958

The Brother Karamazov - 1958

Anastasia - 1956

The Ten Commandments - 1956

The King and I - 1956

Port of New York - 1949

 

Vídeo

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://www.imdb.com/name/nm0000989/

http://en.wikipedia.org/wiki/Yul_Brynner

http://www.angelfire.com/or2/classicstars/yul.html

http://www.thebiographychannel.co.uk/biographies/yul-brynner.html

http://www.nndb.com/people/459/000026381/

 

Retornar/Artigos

 

 


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net