tvsinopse.

kinghost.net

 







 

 


Zilka Salaberry - Atriz Brasileira


 

 

A grande atriz Zilka Salaberry, que ficou muito conhecida pela interpretação da personagem de Dona Benta, na série de televisão "Sitio do Pica-Pau Amarelo", nasceu como Zilka Nazareth de Carvalho no dia 31 de maio de 1917, na cidade do Rio de Janeiro. Já nascera numa família de artistas, sua mãe era a atriz e radialista Luísa Nazareth e seu pai era o comediante João Carvalho.

 

Lourdes Mayer irmã de Zilka

 

Rodofo Mayer, Procopio Ferreira e Lourdes Mayer (irmã de Zilka)

e Pedro Bloco à direita

 

A sua irmã Alair Nazareth passou a dedicar-se ao balé e depois começou passou a trabalhar nas funções de produção na televisão e a outra irmã Lourdes, mais tarde casou-se com o ator Rodolfo Mayer, e também se tornou uma atriz com o nome de Lourdes Mayer, como os seus avós maternos Angela Dias e Cândido Nazareth também eram atores, inclusive Cândido é citado com um dos responsáveis pela criação do retiro Casa dos Artistas.

 

Suely Franco - Zilka e Fernanda Montenegro

 

Mário Salaberry no filme Pinguinho de Gente

 

Zilka e suas irmãs estudaram no Colégio Santos Anjos e como não pretendia seguir a carreira artística continuou seus estudos até formar-se em Economia, mas nunca chegou a exercer a profissão. Por esse tempo já fazia alguns papeis em teatro amador e em 1936, casou com o ator Mário Salaberry e estreou profissionalmente adotando o nome de Zilka Salaberry no filme "Cidade-mulher".

 

Fernanda Montenegro e Zilka Salaberry

 

Este filme teve a direção de Humberto Mauro, onde Zilka e Mário atuaram juntos, e ao lado de nomes famosos como Bibi Ferreira, Jaime Costa, Joel Almeida e José Amaro, entre outros. Zilka e Mário tiveram o filho Mário Geraldo e também por essa mesma época passou a fazer participações em peças teatrais e depois ingressou na Companhia de Procópio Ferriera e também na Companhia de Dulcina de Moraes.

 

Zilka e Nelson de Oliveira em Direito de Pecar

 

Em 1940, voltou a atuar novamente no filme "Direito de Pecar", uma comédia sob a direção de Leo Marten e em 1945, no filme dramático "No Trampolim da Vida" sob a direção de Franz Eichhorn, ao lado de nomes famosos como Lamartine Babo, Luz del Fuego, Violeta Ferraz e Jararaca, entre outros.

 

 

Em 1949, seu marido Mário sofreu um desastre de automóvel e veio e falecer. Foi nessa época que passou por grandes dificuldades para se manter e criar seu filho. No início dos anos 50 fez uma breve passagem pelo teatro de revista, aonde chegou a protagonizar uma cena onde aparecia de calcinha e sutiã, foi por essa mesma época que chegou a televisão através e iniciou suas participações no "Grande Teatro Tupi".

 

Zilka no Teatrinho Troll

 

Zilka como bruxa no Teatrinho Troll

 

Lá participou de diversas montagens ao lado de Dulcina de Moraes, Procópio Ferreira, Xandó Batista, Bibi Ferreira e Leonardo Villar, entre outros, e por volta de 1956, começou a participar do programa infantil "Teatrinho Troll" pela TV Tupi do Rio de Janeiro, onde permaneceu por quase uma déca, atuando em diversas montagens de histórias infantis ao lado Othon Bastos, Cláudio Cavalcanti, Norma Blum, Fábio Sabag, Monah Delacy, Iris Bruzzi e Fernanda Montenegro, entre outros.

 

Zilka Salaberry no teatro

 

Zilka Salaberry e Glauce Rocha

 

Paralelamente ao "Teatrinho Troll" participou da série "A Canção de Bernadete" em 1957, sob a direção de Paulo Porto, na TV Tupi do Rio de Janeiro e também a fazer algumas peças teatrais, como "Adorável Julia" e "O Mambembe". Em 1958, foi convidada para participar da comédia musical "Matemática Zero, Amor Dez" sob a direção de Carlos Hugo Christensen e a comédia "Aguente Rojão", filme sob a direção de Watson Macedo, e no ano seguinte foi a vez do filme "Maria 38" uma comédia também sob a direção de Watson Macedo.

 

Zilka Salaberry em

O Homem, a Besta e a Virtude

 

Em Com a Pulga Atrás da Orelha

Zilka à direita sentada

 

No início dos anos 60, participou das peças "O Cristo Proclamado", "Com a Pulga atrás da Orelha", "O Velho Ciumento", "O Medico Volante", "Os Ciúmes de um Pedestre", "Beijo no Asfalto" e "O Homem, a Besta e a Virtude" entre 1960 a 1962, e no ano seguinte, ainda da TV Tupi do Rio de Janeiro participou da série "A Morta sem Espelho", escrita por Nelson Rodrigues e direção de Sérgio Britto e Fernando Torres.

 

Zilka em Corrida do Ouro

 

Norma Blum e Zilka em Senhora

 

Também participou da série "Pouco Amor não é Amor", também escrita por Nelson Rodrigues e direção de Fernando Torres. No ano seguinte foi a vez de "Sonho de Amor" escrita por Nelson Rodrigues, baseada na obra de José de Alencar e que recebeu a direção de Sérgio Britto; a série "Vitória" de Aldo de Maio, sob a direção de Sérgio Britto e "O Acusador" de Janete Clair, sob a direção de Fábio Sabag.

 

Zilka na novela Sangue e Areia

 

Zilka e Claudio Marzo na novela Sangue e Areia

 

Zilka e Marilia Pera em Supermanoela

 

Em 1965, participou do filme "Society em Baby-Doll" sob a direção de Waldemar Lima e Luiz Carlos Maciel, ao lado de Sérgio Britto, Aldo de Maio, Yoná Magalhães, Maurício Nabuco, Gianni Ratto e Ítalo Rossi, entre outros. Em 1967, foi contratada pela Rede Globo de Televisão e estreou fazendo a novela "A Rainha Louca", escrita por Glória Magadan e sob a direção de Ziembinski e Daniel Filho. A novela ficou no ar entre fevereiro a dezembro de 1967, e onde Zilka interpretou a personagem da Marquesa.

 

Zilka Salaberry em O Bem Amado de 1973

 

Tarcisio Meira e Zilka em Irmãos Coragem

 

Depois continuou sua participação em novelas até fim dos anos 90, em "Pecado Capital", escrita originalmente por Janete Clair e reescrita por Glória Perez, que foi ao ar entre outubro de 1998 a maio de 1999, num total de 185 capítulos, onde Zilka interpretou a personagem Bá, e finalmente em 2002, fez sua última aparição numa novela em "Esperança" de Benedito Ruy Barbosa, onde ela apareceu rapidamente como ela mesma.

 

Zilka Salaberry em O Primo Basílio

 

Ainda na Rede Globo de Televisão fez várias minisséries como "Parabéns pra Você", depois vieram "Memórias de um Gigolô", "O Primo Basílio", "Teresa Batista" e "Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados" em 1995, onde interpretou a personagem da Tia Ceci. Também participou de seriados como "Tarcisio e Glória", "Você Decide", "Bambuluá", "Zorra Total" e "Xuxa e os Duendes" em 2001.

 

 

 

 

Apesar de ter participado de diversos programas, filmes, novelas e seriados, Zilka Salaberry provavelmente sempre será lembrada como a Dona Benta, do "Sitio de Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato, onde participou desde 1977 a 1986. A partir de 2002, Zilka se afastou de suas atividades artísticas e a partir de 15 de fevereiro de 2005, passou a ficar hospitalizada por problemas de insuficiência renal, infecção urinária e desidratação.

 

 

 

 

Infelizmente no dia 10 de março deste mesmo ano, acabou falecendo no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de insuficiência respiratória, aos 87 anos de idade. No ano seguinte em 2006, ela recebeu uma homenagem pelo Centro de Pesquisa e Estudo do Teatro Infantil, também conhecido por Cepetin, que instituiu o Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil, para incentivar e promover a valorização de produção de boa qualidade para a criança, entre outras.

 

Vídeo

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Zilka_Salaberry

http://inmemorian.multiply.com/photos/album/3

http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_4692.html

http://www.imdb.com/name/nm0757405/

http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYP0-5271-240344,00.html

 

Retornar/Artigos

 

 


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net