tvsinopse.

kinghost.net

 







 


Cheers


 

 

Cheers é o nome desta longa série em forma de uma comédia (11 temporadas), produzida por Charles-Burrows-Charles Productions em associação com a Paramount Television. Foi apresentado pela primeira vez, nos Estados Unidos, pela rede de televisão NBC em 30 de setembro de 1982 e seu último episódio em 20 de maio de 1993, tendo sido apresentados um total de 270 episódios. Cheers, demorou um pouco para consolidar-se.

 

 

Na primeira temporada por muito pouco não foi cancelada e até 1985 não passava de mais um espetáculo popular de televisão. Contudo, com o passar do tempo suas avaliações foram melhorando cada vez mais, chegando a ganhar numerosos prêmios, o que impulsionou muito a carreiras de suas estrelas.

 

 

A série Cheers é freqüentemente citada por misturar elementos românticos num formato de uma comédia, com diálogos engenhosos e cômicos, que muitas vezes acabavam gerando perguntas do tipo: será que cicrana casará com fulano?, como numa novela, coisa rara em uma comédia de televisão.

 

 

Cheers era o nome de um bar de Boston, onde um grupo de pessoas conhecidas vinham para sentar, beber, contar fatos malucos, reclamar e contar piadas. O dono do bar era Sam Malone (Ted Danson), um ex-jogador de beisebol do Boston Red Sox e também muito famoso por ser “meio-galinha”, além de ser obcecado pelo seu cabelo.

 

 

No bar, além de Sam, trabalhavam Coach (Nicholas Colasanto), um ex-técnico de Sam no beisebol e atendente do bar. Após sua morte em 1985, foi substituído por Woody Boyd, um garoto ingênuo do interior; Carla Tortelli  (Rhea Perlman) uma sarcástica garçonete e Diane Chambers (Shelley Long) a outra garçonete. Os freqüentadores assíduos do bar eram Norm Peterson (George Wendt) e Cliff Clavin (John Hatzenberger). Na quinta temporada outro freguês surgia, Dr. Frasier Crane (Kelsey Grammer), um psiquiatra local que sempre acabava por ajudar alguém com problemas. 

 

 

O tema principal do espetáculo se baseava num romance tempestuoso entre Sam e Diane, uma relação de altos e baixos. Sam e seu romance com a garçonete Diane (Shelley Long) exemplificava o tom novelesco da comédia. Na primeira temporada, Diane menosprezava e constantemente rejeitava Sam. Na segunda ela começou um romance meio tórrido com ele e acabaram rompendo na terceira temporada.

 

 

Na quarta temporada Diane correu de atrás de correu Sam, entretanto rejeitou uma proposta de casamento dele e na quinta temporada Diane apareceu com um novo namorado, Dr. Frasier. Uma tensão romântica contínua permitia aos personagens de Sam e Diane desenvolverem o espetáculo. Retrospectos e referências de episódios passados davam também ao espetáculo um sentido de uma história contínua.

 

 

Em 1986 a ênfase romântica foi trocada com a entrada de uma nova personagem, a neurótica Rebecca Howe (Kirstie Alley) a nova gerente do bar, que substituiu Diane, quando a atriz Shelley Long deixou o espetáculo. Frasier casou-se com a doutora Lillith Sternin (Bebe Neuwirth). Somente Cliff e Norm permaneceram como estavam.

 

 

Os criadores de Cheers, Glen Charles, James Burrows e Les Charles, trabalharam em vários comédias de costumes da MTM, como The Mary Tyler Moore Show, Phyllis e The Bob Newhart Show.Cheers herdou esta ênfase da MTM em desenvolver seus personagens com bons anunciantes e uma boa audiência.

 

 

As fãs de Cheers desfrutavam das atitudes irreverentes do espetáculo em relação as convenções sociais. Em Cheers os personagens não eram politicamente corretos, o personagem principal Sam, era um “galinha”, Rebbeca Howe, fingia ser uma mulher batalhadora, mas também queria fisgar um marido rico e uma atmosfera centrava ao redor de bebedeiras.

 

 

Embora vários personagens eram proletariados, o espetáculo evitava completamente os assuntos sociais. Cheers nunca procurou aumentar sua audiência com qualquer tipo desses assuntos.

 

 

 Até mesmo nos momentos pungentes de drama pessoal que aquietava o jogo romântico, era rapidamente contornados e equilibrados com o lado cômico, antes que qualquer mensagem séria pudesse ser levada a cabo. Em 1993, a Paramout anunciou que Cheers sairia do ar, pois os custos de produção eram muito altos. Muitos diziam que somente Ted Danson ganhava aproximadamente $450,000 em um único episódio. Em 1994, após o término de Cheers, os produtores acharam por bem criar um spinoff para dar continuidade e assim surgiu a série Frasier.

 

 

Cheers tornou-se um dos mais populares espetáculos da televisão, chegando a estar no topo da audiência durante sete de suas onze temporadas. O espetáculo ganhou 26 Emmy Awards e teve 111 nomeações. No Brasil esta série foi apresentada pelo canal por assinatura Sony Entertainment Television, entre 2003/4.

 

 

Atores (Personagens)

 

Ted Danson (Sam "Mayday" Malone)

Shelley Long (Diane Chambers)

Rhea Perlman (Carla Tortelli LeBec)

George Wendt (Norm Peterson)

John Ratzenberger (Clifford "Cliff" C. Clavin Jr)

Woody Harrelson (Woodrow "Woody" Boyd)

Kelsey Grammer (Dr. Frasier W. Crane)

Kirstie Alley (Rebecca Howe)

Bebe Neuwirth (Dr. Lilith Sternin)

Nicholas Colasanto ("Coach" Ernie Pantuso)

Harry Anderson (Harry "the Hat" Gittes)

Dan Hedaya (Nick Tortelli)

Jean Kasem (Loretta Tortelli)

Jay Thomas (Eddie Lebec)

Jackie Swanson (Kelly Gaines)

Roger Rees (Robin Colcord)

Keene Curtis (John Allen Hill)

Alan Koss (Alan)

Jack Knight (Jack)

Steve Giannelli (Steve)

Tim Cunningham (Tim)

Al Rosen (Al)

Larry Harpel (Larry)

Paul Willson (Paul)

 

Música Tema

 

 

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://www.timstvshowcase.com/cheers.html 

http://www.seriados-tv.pop.com.br/canceladas.html 

http://www.tvtome.com/Cheers/#intro 

http://en.wikipedia.org/wiki/Cheers 

http://www.museum.tv/archives/etv/C/htmlC/cheers/cheers.htm 

http://jeannie_fan.vila.bol.com.br/jeanniefan.html 

http://www.tvmagazine.com.br/sattv/arquivo/s-arquivo.asp

http://www.sitcomsonline.com/sounds/cheers1982.wav

 

Retornar/Index

 

 


 



 

tvsinopse.

kinghost.net