tvsinopse.

kinghost.net

 







 


The Cosby Show


 

 

The Cosby Show foi uma das séries que causou uma das maiores surpresas na história da televisão americana, dominando as noites de quinta-feira de 1984 a 1992, nos Estados Unidos. Focalizando as aventuras cotidianas de uma família de negros de classe média alta, a série reavivou um gênero na televisão (comédia de costumes) e acendendo as controvérsias sobre raças e classificações na América. The Cosby Show estreou em 20 de setembro de 1984, indo para o topo na audiência quase que imediatamente.

 

 

A série ficou em terceiro lugar já na sua primeira temporada (1984-1985) e primeiro nas próximas quatro temporadas. The Cosby Show só caiu nas avaliações depois de sua sexta temporada (1989-90), quando terminou em segundo atrás de outra comédia chamada Roseanne.

 

 

Porém, The Cosby show por muito pouco quase não foi produzido. A NBC recrutou Marcy Carsey e Tom Werner para desenvolver uma comédia de costumes, logo após um monólogo de Bill Cosby sobre crianças, apresentado no NBC´s Tonight Show que acabou impressionou muito o chefe de entretenimento da rede, Brandon Tartikoff. 

 

 

Mas, apesar da popularidade de Cosby, os programadores achavam que o potencial dele era meio suspeita. A história da carreira de Cosby na televisão era uma bagunça. Depois de co-estrelar a série I Spy (1965-68), ele apareceu em séries não muito avaliadas como: The Bill Cosby Show (1969), The New Bill Cosby show (1972 e Cosby (1976).

 

 

Enquanto a NBC se afligia com perguntas relativas a viabilização de Cosby como uma estrela de televisão, Carsey e Werner apresentaram a idéia a ABC, mas a rede não se interessou. O tempo foi passando e Carsey e Werner já estavam perdendo as esperanças quando, a NBC acertou um compromisso com eles para produzir um piloto e mais cinco episódios da comédia. O local das gravações foram feitas num estúdio em Brooklyn, Nova Iorque.

 

 

The Cosby Show girava ao redor de situações cotidianas enfrentadas pelo Dr. Hearthcliff Huxtable (Bill Cosby), o pai, um respeitado obstetra e ginecologista e Clair Huxtable (primeiramente interpretada por Phylicia Ayers-Allen, mais tarde por Phylicia Rashad), a mãe, uma próspera advogada. Eles tiveram cinco filhos: Sondra, Denise, Theo, Vanessa e Rudy.

 

 

Sondra (Sabrina LeBeauf) era a filha mais velha e raramente era visto durante a primeira temporada e só começou a aparecer mais regularmente na segunda temporada junto a seu namorado Elvin. Eles se casaram e tiveram gêmeos, porém não antes de aturdir as suas famílias anunciando o fato de Elvin estar abandonando a escola de medicina para abrir uma loja de acampamento e também de Sondra estar deixando a escola para ajudar o marido.

 

 

Ela era uma prestigiada estudante da faculdade de Princenton. A próxima filha, de um pouco menos idade, era Denise (Lisa Bonet), a ovelha negra da família. Ela tinha o seu próprio jeito de fazer as coisas e de se vestir. Depois de se formar na escola secundária, ela foi para a Faculdade de Hillman, mas depois de dois anos abandonou a escola e decidiu se tornar uma assistente de um fotógrafo e se mandou para a África durante um ano. 

 

 

Em 1987 a atriz e personagem (Denise – Lisa Bonet) deixaram o espetáculo para trabalhar num spin-off chamado "A Different World" (1987-93), Porém mais tarde ela retornaria a série. Quando voltou ela já tinha se tornada esposa e mãe, enquanto estava na África. Ela se casou com um homem da marinha, Martin, e teve uma criança chamada Olívia.

 

 

O casamento durou muito pouco. Durante a última temporada, Denise apareceu com Martin, na Ásia, juntamente com sua filha Olívia e seus pais Hearthcliff e Clair. Theo (Malcolm Jamal-Warner), Vanessa (Tempestt Bledsoe) e Rudy (Keisha Kight-Pulliam) eram muitos populares, devido ao fato de eles aparecerem freqüentemente com Sondra e Denise. A maioria das histórias girava em torno das três crianças. Theo, na última temporada se formou na faculdade.

 

 

Ao contrário de outras famílias negras vistas na televisão, eles eram da classe média alta e moravam na fascinante Flatbush. A TV Guide comparou o estilo de vida dos Huxtable com outras famílias negras da América, e chegou a conclusão que eles eram a família mais atípica da história da televisão.

 

 

Para muitos observadores, The Cosby Show era único e sem igual. Os escritores da série permaneceram verdadeiros à visão de Cosby de encontrar humor em situações familiares, nas minúcias do comportamento humano, evitando as velhas fórmulas das comédias de costumes e deixando a estrutura da história bastante solta e imprevisível, além de uma trilha sonora com um adocicado jazz.

 

 

Em muitos aspectos, The Cosby Show foi designado para endereçar uma longa história de retratos negativos negros na televisão. Para isso, Avin Poussaint, um proeminente psiquiatra negro foi contratado pelos produtores como consultor para ajudar na “negritude” dos personagens. Em contraste com as famílias de outras comédias de costumes negras, como por exemplo em Sanford and son (1972-77), Good Times (1974-79) e The Jeffersons (1975-85), os Huxtables eram determinados por uma mistura particular de qualidades, por seus criadores, que pensavam em desafiar os esteriótipos de negros comuns. 

 

 

Estas qualidades incluíam uma figura de um pai e uma família com núcleo bem fortificada, pais que possuíam profissões de sucesso, responsabilidade fiscal, uma grande ênfase na educação, uma família com muitos amigos de várias raças e com muito orgulho racial.

 

 

Mas muitos críticos não acompanhavam esse pensamento. Alguns observadores comparavam o espetáculo com uma série de 1980, chamada Father Knows Best (Papai sabe tudo), uma série que mostrava uma família de classe média alta, tipicamente dentro do sonho americano. Eles achavam os Huxtables era essa família, só que na versão negra. Além disso, a série coincidiu com a reeleição do Presidente Reagan e os Huxtables, parecia ecoar temas Republicanos fundamentais, o que levou os críticos a etiquetarem as políticas do espetáculo como “conservacionista”.

 

 

Na noite de abril de 1992, quando a América estavam sendo saturados por imagens de fogo, tumultos raciais e econômicos em Los Angeles, muitos espectadores optaram por dar um adeus a série The Cosby Show. A série foi encerrado em maio de 1992. No Brasil esta série foi apresentada pelo canal a cabo Sony.

 

 

Nota: o número de episódios variam conforme pesquisa:

Tim's TV Showcase = 197

TV Magazine = 201

The Museum of Broadcast Communications = 200

 

 

Elenco

 

Bill Cosby (Dr. Hearthcliff Huxtable)

Phylicia Ayers-Allen (Clair Huxtable - I)

Phylicia Rashad (Clair Huxtable - II)

Sabrina LeBeauf (Sondra Huxtable)

Lisa Bonet (Denise Huxtable)

Malcolm Jamal-Warner (Theodore Huxtable)

Tempestt Bledsoe (Vanessa Huxtable)

Keshia Knight Pulliam (Rudy Huxtable)

Clarice Taylor (Anna Huxtable)

Earl Hyman (Russel Huxtable)

Peter Costa (Peter Chiara)

Geoffrey Owens (Elvin Tibideaux)

Deon Richmond (Kenny "Bud")

Carl Anthony Payne II (Cockroach)

Troy Winbush (Denny)

Joseph C Phillips (Martin Kendall)

Raven-Symone (Olivia Kendall)

Erika Alexander (Pam Tucker)

William Thomas Jr (Dabnis Brickey)

 

Música Tema

 

 

Principais Fontes Bibliográficas

 

http://www.timstvshowcase.com/cosbysh.html

http://www.tvome.com/CosbyShow/#intro

http://www.tvmagazine.com.br/sattv/arquivo/s-arquivo.asp

http://www.museum.tv/archives/etv/C/htmlC/cosbyshowt/cosbyshowt.htm

http://www.sitcomsonline.com/sounds/thecosbyshow1986.wav

http://home.comcast.net/~milleniumbiz2/tv/Cosby_Show.mp3

http://www.melaman2.com/tvshows/C2.htm

 

Retornar/Index

 

 


 



 

tvsinopse.

kinghost.net