tvsinopse.

kinghost.net

 


 

Home

 




 


Contato - Parte 4


 

 

Sashimí era somente peixe cru e quem era rico comia suflê ou fingia. Strogonoff era chic, Big Mac ainda não tinha, todos comiam Bauru ou pastel de feira. Japonês tinha um pintinho deste tamaninho, e pequeno também era o tamanho do seu salário.

 

 

Nos fins dos anos 70 a televisão ganhou cor e vida, era o tempo de Dancin´ Days. O momento ainda eram as badaladas discotecas. Donna Summer continuava a ser a Madonna da época. Tudo girava em torno de música, dança, alegria e muito Macho Macho Man!!!.

 

 

Os anos 70 ficaram marcadas pela chamada Disco Music ou Discoteque, uma mistura do soul, funk e salsa, que começou com os latinos e negros nas grandes metrópoles americanas e ganhou o mundo. Quem conseguia ficar parado ao lado de Gloria Gaynor, ABBA, Sylvester, KC and the Sunshine Band, entre outros. Quem não viveu essa época, dançou!

 

Foto - Sandra Barsotti em Confissões de uma Viúva Moça

 

Também foi a época em que o cinema brasileiro se destacava através de suas pornochanchadas. Vera Fisher era a rainha, Sonia Braga, no mínimo a princesa, mas outras beldades também não faziam feio. Helena Ramos, Aldine Muller, Matilde Mastrangi, Adele Fátima, Nicole Puzzi e Sandra Barsotti, entre muitas outras gostosas.

 

 

No cenário internacional destaque para Garganta Profunda e Linda Lovelace abocanhava o sucesso entre a rapaziada. Já os intelectuais, os sabichões, só viam nudez e sexo em obras de cinemas de arte. Para eles só Império dos Sentidos do japonês Nagisa Oshima e mais tarde Calígula com Malcolm McDowell. Outros como eu num tava nem ai. Tirou a roupa, lá estávamos.

 

 

A década de 80 chegou, assim como os primeiros desenvolvimentos dos computadores pessoais. Industrias como a IBC e a Apple criavam as suas primeiras interfaces gráficas. Chegava ao mercado o primeiro computador da linha Macintosh, bem como a chegada da Microsoft no mercado equipando os primeiros IBM-PC com o sistema operacional MS-DOS e ninguém imaginava que isso iria revolucionar o mundo a partir de então.

 

 

Algumas vezes ao rever algum velho filme ou seriado de ficção científica encontramos o nosso velho DOS mandando ver, mesmo em se tratando de uma época bem mais longínquo ainda. Ninguém imaginava que em pouco tempo teríamos softwares tão avançados como temos hoje. Mas, ainda assim é muito legal ver o DOS não fazendo feio e muitos assistem numa boa, e nem percebem que ele está lá, desempenhando o seu papel.

 

 

No cenário político-social acontecimentos importantes ocorriam como a Queda do Muro de Berlin e com ela veio também o fim da Guerra Fria. O Papa João Paulo II leva três tiros do turco Mehemed Ali e fica gravemente ferido, deixando o mundo católico muito apreensivo. Nascia assim o Papa Móvel. João Paulo II esteve quatro vezes no Brasil e o Papa é Pop!

 

 

Na Rússia os jornais anunciavam que Leonid Brejnev, o homem que por quase duas décadas comandou com mãos de ferro, o maior país do mundo como a maior superpotência militar do mundo, morria aos 75 anos de idade. Outros nomes sucederam-no, até a chegada de Mikhail Grobachev, que iria mudar radicalmente o destino da velha União Social, abrindo suas portas para o mercado consumista que eles por tanto tempo criticaram.

 

 

A década contou ainda com três Olimpíadas Mundiais, começando com a de Moscou em 1980, depois em Los Angels em 84 e em Seul em 88, assim como duas Copas do Mundo. A primeira na Espanha onde a Itália se consagrou como campeã e depois no México onde Maradona leva a seleção Argentina para ser a grande vencedora e o Brasil decepciona nas duas ocasiões.

 

 

Na Fórmula 1, destaque para os brasileiros Nelson Piquet, Ayrton Senna, Maurício Gugelmin, Raul Boesel e Roberto Pupo Moreno. Enquanto esse pessoal manda ver nas corridas, por aqui começa o movimento das Diretas Já e pouco tempo depois Tancredo Neves chega ao poder, mas morre antes de assumir o cargo. O vice José Sarney é declarado Presidente do Brasil e também finalmente encerra-se a malfadada Ditadura Militar brasileira. Adeus ditadura, até nunca mais.

 

Foto - Glauber Rocha

 

No cinema brasileiro Glauber Rocha faz o seu último filme Idade da Terra. Pouco tempo depois em agosto de 81 morre aos 42 anos de idade, deixando o Brasil em luto. No cenário internacional Steven Spielberg traz o filme E.T. o Extra Terrestre, arrecadando uma incrível bilheteria, assim como George Lucas continua a saga de Star Wars.

 

 

Também Stanley Kubrick lança o sucesso de terror O Iliminado e outros grandes filmes também pintavam nas telas dos cinemas. Amadeus chegava mostrando a vida muito amalucada do jovem Wolfgang, do outro lado a vida pacifista de Ghandi. Tinha início a saga de Os Caçadores da Arca Perdida e Dustin Hoffman mostrava ser muito mulher em Tootsie.

 

 

Grandes mestres do cinema mostraram a sua cara. Martin Scorcese aparecia com O Touro Indomável; o enigmático Ingmar Bergman com Fanny & Alexander e o japonês Kurosawa atacava de Ran, sem esquecer naturalmente de Woody Allen apresentando Hannah e Suas Irmãs.

 

 

Em 82, Michael Jackson faz um mega sucesso com seu álbum Thriller e se consagrando com um dos maiores fenômenos musicais do Século XX. Também chegavam outros superpoderosos astros da música, como Madonna, Guns N´ Roses, Iron Maiden, Whitesnake e Duran Duran, entre muitos outros.

 

 

Em terras brasilis muitas bandas começam a mostrar suas caras como Biquíni Cavadão, Ultrage a Rigor, Titãs, Legião Urbana, Rádio Táxi, 14 Bis e muitas outras bandas legais que pintaram por essa época. Não esquecer jamais de Cazuza e o Barão Vermelho, Flávio Venturini, Rosana e Joana, entre muitos outros.

 

 

Era a época dos jovens chamados de rebeldes sem causa, diversas tribos diferentes começavam a proliferar pelo pedaço, mas não dando destaque especial a nenhum deles, com exceção dos Darks, fruto da sub-cultura gótica, mostrando um lado sombrio e vestuários geralmente baseados em cores negras, com adições de muitas cores e acessórios futuristas.

 

 

Infelizmente, a pioneira emissora de televisão, a Rede Tupi fechava definitivamente a sua porta. Muita gente ficou sem emprego e já vinham a um bom tempo sem receber devidamente os seus salários, já tão atrasados. Pouco antes de seu encerramento, a Tupi dispensava cerca de 250 funcionários só no setor de dramaturgia.

 

 

Junto com Tupi também outras emissoras como a TV Itacolomi, a TV Marajoara, TV Piratini, TV Ceará, TV Rádio Clube e a Tupi do Rio saíam do ar. Após quase 30 anos de luta e galhardia, ela finalmente chegava ao seu fim, juntamente com o sonho de Chateaubriand, mas a sua semente permanecia e continuava a germinar novas emissoras. Felizmente, o seu valioso acervo de filmes, videotapes e textos de telejornais permanecem preservados, ou pelo menos estavam.

 

 

Muitos artistas tentavam inutilmente impedir o fechamento da emissora fazendo uma vigília de 18 horas, comandada pelo apresentador Jorge Perlingeiro. Várias outras celebridades também aderiram ao apoio dos funcionários, entre eles destaque para Agnaldo Timóteo e Costinha.

 

 

Mas, nada disso adiantou. No dia 18 de julho de 1980, há exatamente 12 horas e 36 minutos, o sinal da Tupi do Rio era definitivamente cortada. Terminava assim a primeira emissora de televisão do Brasil. Duas frases ficaram muito marcadas nesta data: “Até Breve, Telespectadores Amigos. Rede Tupi” e a outra “Nos deixe trabalhar”.

 

 

Pouco tempo depois, em 23 de abril de 1981 surgia a TVS, que posteriormente seria chamada de SBT, comandada pelo apresentador Silvio Santos. Nesta mesma época surge a Rede Manchete de televisão sob o comando do empresário Adolpho Block. 

 

 

Pouco tempo depois as novas emissoras Manchete e SBT começam a incomodar a poderosa Rede Globo, que por sua vez, contrata o Velho Guerreiro para comandar o Cassino do Chacrinha e assim fazer frente aos novos momentos.

 

 

Na teledramaturgia a Globo atacava de Roque Santeiro, enquanto Silvio Santos contra-atacava com lançamento de filmes, entre elas a minissérie Pássaros Feridos, onde o Silvio espertamente anunciava. Podem assistir à novela da Globo. Mas, depois, mudem para o SBT para assistir a Pássaros Feridos. Tô certo ou tô errado?

 

 

Xuxa chegou com tudo para alegria da nova molecada e virou a Rainha dos Baixinhos, também chegaram Eliana e Mara Maravilha. O Chaves continua conosco até os dias de hoje. Seu Madruga nunca morreu em nossos corações e o Kiko ainda é o pior e o melhor amigo do pobre Chaves e da Chiquinha. O Pica-Pau também está aí.

 

 

A Manchete entrava na briga pelas novelas e começava a incomodar com Dona Beija, Corpo Santo e Kananga do Japão, além da minissérie Marquesa de Santos, enquanto o SBT trazia o Chaves e lançava a novela Chispita. No fim da década de 80, a Manchete apesar de seus sucessos, já dava os primeiros sinais dos seus problemas financeiros.

 

 

Essa briga toda ocasionou um leva-e-traz sem precedentes na história da televisão. Entre eles, Xuxa veio para a Globo e Jô Soares se mandava para o SBT, que também estreava a sua A Praça é Nossa e Angélica já começava como a nova estrela da Manchete.

 

 

Fausto Silva começava ficar conhecido com os Perdidos na Noite na Record. Pouco tempo depois também foi para a Globo, onde está até hoje. A Igreja Universal do Reino de Deus passa assumir a Rede Record e começa a ter uma nova cara.

 

 

Mas apesar de todas as ofensivas contra ela, a Globo manteve a liderança das novelas nos anos 80. Lançou nada mais do que Água Viva, Coração Alado, Brilhante, Louco Amor, Champgne, Selva de Pedra, Roda de Fogo, O Salvador da Pátria, Tieta, entre outros sem falar no megasucesso de Roque Santeiro. Foi uma década que valia a pena ser noveleiro.

 

 

A marvada pinga manteve Inezita jovem até hoje. Boldrin sempre arrodeado de causos. Tonico e Tinoco eram os legítimos representantes da música raiz. Quem não se lembra de Cascatinha e Inhana e do Coração de Luto com o gaúcho Teixeirinha, que não era uma dupla, mas aparecia sempre com Mary Terezinha. Havia também aquelas que aprontavam das suas, como Alvarenga e Ranchinho, sem nunca esquecer de Jararaca e Ratinho.

 

Foto - Mazzaropi

 

A televisão não é só palavra feminina como Cacilda Lanuza, pode ser empregado também no masculino de Homero Silva, singular como Mazzaropi ou no plural de Cassiano Gabus Mendes. Muitas vezes substantivo de nome próprio, Daniel Filho, noutras adjetivo qualificativo, bom, porcaria, Ibope e muitas vezes como pronome possessivo, como a minha TV.

 

Foto - Uri Geller o entortador de colheres

 

Há muitos anos atrás a TV Paulista desaparecia, logo em seguida a Globo nascia. Clark chegava, logo em seguida Boni se apresentava. Juntos estabeleceram um formato de uma nova qualidade, que virou padrão em nossa televisão. Esta tevê nos levou a lua, vimos o milésimo gol de Pelé e até Uri Geller, com ela, a todos nos enganou.

 

 

Emerson foi pras zoropas e se tornou bi-campeão. Voltou herói e com ele veio a Fórmula 1 para o Brasil. Depois criou a Coopersucar-Fittipaldi e se transformou em chacota pela turma do Casseta e Planeta. Chateado foi para os estates e lá faturou muitos outros prêmios, e esfregou nos fundilhos deles. Não tendo outra saída, pegaram o Rubinho como bola da vez. Meu Deus, quanta estupidez!

 

 

Jackson misturava chiclete com banana e Miami com Copacabana. Gil partia direto de Bomsucesso pra depois do ano 2000 e o velho maestro Erlon parecia uma criança, só queria mocotó, mas tubo Ben, o resto era só Fio Maravilha. Ainda não havia Menina Veneno, mas nem tudo era pequeno e eu continuava a ser apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no bolso e vindo do interior.

 

Foto - Íris Letieri

 

A televisão não é sinônimo somente de uma carinha bonitinha. Vozes espetaculares, de muitos que vieram da rádio também tem e tiveram vez. Quem não se lembra da belíssima voz de Luiz Jatobá e Livio Carneiro, e outros tantos. Hoje é tempo de Fátima & Bonner, e a tevê perdeu Íris Letieri: “Senhoras e senhores, boa viagem”.

 

 

Rita Cleós desapareceu, Hugo Santana também. Lima Duarte deixou de ser o Zeca Diabo e virou Sinhozinho Malta ao lado da viúva Porcina. Regina Duarte se transformou de namoradinha do Brasil para a Rainha da Sucata.

 

Foto - Ziembinski

 

As novelas brasileiras eram as melhores do mundo, A Escrava Isaura que o diga. Janete Clair e Ivani Ribeiro mostravam que lugar de mulher não é só na cozinha. Quem matou Odete Roitman? E Salomão Ayala? Eram tempos de um turbilhão de grandes mestres da dramaturgia. Ziembinski, vocês se lembram dele?

 

 

Hoje é tempo de Big Brother e das Mulheres Frutas. Quem manda são os sucessos instantâneos, mas já teve o tempo dos sertanejos, dos pagodeiros e da soul music. Atualmente o talento pode ser medido pelo tamanho da bunda ou pelo corpo malhado e sarado.

 

 

Houve um tempo também que a televisão se desenvolvia rapidamente, como os computadores atuais. As transmissões passaram a ser a cores e via satélite. No mesmo instante, um repórter do outro lado do planeta dava a notícia no Jornal Nacional. Videotape virou coisa do passado, assim como as séries em preto e branco. Canal retrô, nem pensar, somente DVD remasterizada a cores e com som estéreo.

 

Foto - Denner Pamplona de Abreu

 

Lula não era presidente, era apenas um cara gritando na frente das portas das fábricas em São Bernardo. Era tempo de bacalhau. Pra ganhar era só ir ao auditório do Chacrinha. Denner Pamplona de Abreu era o estilista da moda e Clodovil surgia na televisão. Carlos Imperial entrava no palco debaixo de vaias.

 

Partes:  01   |   02   |   03   |   04   |   05   |  06   |   voltar

 

 


tvsinopse@gmail.com



 

tvsinopse.

kinghost.net

 




 

Sobre...