tvsinopse@gmail.com

 

 


Entender ou Compreender, eis a questão


 

 

Para muitas pessoas entender e compreender são a mesma coisa, apenas sinônimos tais como, mas, porém, todavia, contudo, e acham que se trata apenas de um simples trocar de palavras, para uma frase ficar um pouco mais exuberante ou utilizá-las apenas para não ficar repetindo a mesma palavra numa frase, ou coisas do gênero. Mas na realidade entender é uma coisa e compreender é uma coisa completamente diferente. Podem ser primos, mas nunca irmãos, assim como podem andar lado a lado, sendo que o entender é o mais comumente utilizado e aquele que quase todos nós conseguimos normalmente fazer, já compreender é algo para poucos e ainda assim há de se pensar.

 

 

Muitos leem diversos livros achando que podem compreender o que autor está querendo dizer ou transmitir, mas na realidade eles apenas entendem o que nela está escrito, pois o livro por melhor que seja não faz milagres, assim como não ensina ninguém a compreender porcaria alguma, ela nos faz apenas entender. O que a vida nos ensina, as nossas experiências pessoais, aliada aos conhecimentos de entendimento do livro talvez nos traga alguma compreensão, uma luz no fim do túnel, se é que estão me entendendo.

 

 

Ultimamente vejo muito na televisão, principalmente nos noticiários diversos convidados que vem dar o parecer das noticias que lá são relatadas. E assim olhando eles abordarem o assunto e ao fazer seus comentários me lembra os grandes sábios que a gente costuma ver nos filmes, já que na vida real a figura do dito cujo é quase uma utopia.

 

 

Geralmente essas celebridades são constituídas por famosos professores universitários, com graduações em cá e acolá e especialistas em assuntos diversos de dar gosto, ou são jornalistas detentoras de diversos prêmios e o escumbau, entre diversos outros homens e mulheres geniais, de profissões variadas, que lá também comparecem,sabem discutir sobre qualquer pauta, demonstrando verdadeiro conhecimento de causa, sempre com a sua voz eloquente e sem pestanejar evidentemente.

 

 

Às vezes fico a imaginar se essas proeminentes mentes tão brilhantes não poderiam utilizar um pouco de todo esse fantástico conhecimento, que demonstram possuir, para quem sabe tentar arrumar esse nosso mundinho que está tão bagunçado ultimamente, ao invés de egoisticamente apenas sentarem atrás de suas carreiras e se tornarem profundos estudiosos de tais matérias, ou será que comentar diante das câmeras é uma coisa e a verdadeira história da vida real é completamente outra? Havemos Chester, de se lembrar também que diversos célebres catedráticos com diplomas até da lua, já sentaram no Planalto e acabaram metendo os pés pelas mãos, quem não se lembra dos Planos Cruzado, Plano disso ou daquilo, entre diversas outras para acabar com a inflação?

 

 

Diante de tudo isso me sinto um verdadeiro bastardo em meio a esses grandiosos senhores a discursar, sabedores das mais puras verdades e com soluções a dar inveja a qualquer um ou até mesmo ao profeta. Coitado de mim, pois diante de tanta galhardia e genialidade, começo achar-me uma besta quadrada, pois mal consigo encontrar respostas, de separar o certo do errado, por mais simples que seja a questão, mas também, por outro lado, não posso ficar a reclamar, já que fugi da escola muito cedo, portanto um burro daqueles.

 

 

A televisão dos últimos tempos também criou a figura do âncora e também a do “âncora” (entre aspas) que também fazem comentários sobre vários assuntos, sempre naturalmente com um imenso conhecimento, propriedade, entendimento e poder de persuasão, e até aqueles(as) que conseguem emitir suas opiniões somente através de simples gestos faciais de aprovação ou reprovação.

 

 

Desta forma já não nos permitem que as nossas pequenas mentes de nós pobres e humildes servos telespectadores, de pensar e questionar sobre as coisas por conta própria, pois além das notícias já virem toda ela resumida ao máximo, e muitas vezes recheadas de siglas ou significados incompreensíveis para a maioria da população, são acompanhadas pelos belos comentários a parte, e se você não gostar, também não tem problema, basta mudar o canal e escolher aquele que melhor lhe convier, pois sempre haverá um que satisfará os seus anseios.

 

 

É deste jeitinho que nós passamos a entender tudo que acontece pelo mundo, seja pelos jornais, revistas, televisão ou até mesmo pela Internet. Nos tornamos também entendedores de tudo que se possa imaginar e não tardará o dia em que revoltado um bebê chegará ao mundo, já apontando o dedo e reclamando ao médico parteiro dos procedimentos por ele adotado, diante da maneira como foi empurrado para o lado de fora, e se nascerem gêmeos, coitado do médico, ficará no meio de um fogo cruzado.

 

 

Passamos a viver num mundo de seres humanos inteligentes e entendedores de tudo, assim como criamos condições para que tenhamos respostas para tudo e para isso não é muito difícil, pois basta estarmos diante de qualquer meio de comunicação, que tudo está lá, prontinho para ser consumido. Depois é somente dar um Crtl C + Crtl V que tudo estará resolvido, através do Twiter ou Facebook, que se encarregará por si só de levar para todos a “sabedoria enlatada”, sem esquecer naturalmente dos malditos PPS, via e-mail, geralmente enviados em nome do Todo Poderoso e solicitando que sejam envidas cópias para 12 amigos próximos, correndo o risco de quebrar a corrente e assim passar o dia tendo urucubacas.

 

 

Diante desse mundo moderno e tecnológico o entender passou a ser uma coisa natural e, que as pessoas já nascem sabendo a lidar com ela com destreza e assim o entendimento se faz, e esse é o ponto que eu não compreendo. Não compreendo toda essa nossa necessidade de entendermos de tudo, de sermos donos conhecedores de tudo, e diante disso resolvi inventar o meu protesto e assim criarei neste ano “O Dia da Minha Burrice”, dia esse dedicado a eu ser um asno completo, dia em que fecharei os meus olhos para o meu computador, desligarei a minha televisão e ficarei somente deitado na minha rede, vendo simplesmente o tempo passar, entre um cochilo e outro, sem esquecer do salaminho e da cervejinha, é lógico.

 

 

Naturalmente e viciado que já estou, assim que passar esse dia voltarei correndo para o meu mundo, ligarei rapidamente o meu computador, a televisão, colocarei um DVD com o último filme pirateado que comprei na esquina, colocarei meu fone de ouvido e religarei meus celulares, todos eles de uma só vez, pois o tempo urge e é preciso urgentemente recuperar as 24 horas perdidas da minha vida, que não sei se terei tempo, afinal burrice minha dedicar um dia somente para mim mesmo, e isso não sei se é fácil de entender ou até de compreender.

 

 

E se mesmo assim não for possível recuperar o tempo desnecessariamente gasto, não me preocuparei com toda essa problemática, pois basta correr até a livraria mais próxima e comprar rapidamente a edição mais recente de autoajuda, sobre o assunto desejado que tudo estará resolvido. Antigamente, e isso não faz tanto tempo assim, dizia-se que se conselho fosse bom não daríamos, venderíamos. Pois bem meu caro amigo leitor, esse dia chegou. Corram e escrevam logo a sua autoajuda, não seja assim tão desumano, presunçoso, afinal todos estão loucos para saber dos seus bons préstimos. Lembre-se: o conselho que outrora nada valia, hoje se vende a preço de ouro, desperte rapidamente o seu lado empreendedor.

 

 

Falando em empreendedor essa é outra palavra que entendo, mas não compreendo, pois atualmente pra tudo quanto é lado é só EMPREENDEDORISMO. Fotos do cara que se deu bem, ontem um mendigo, hoje um homem de sucesso, discursos na televisão, entrevistas de montão e bons conselhos a dar pra todos, só não aproveita quem não quer. A ordem do dia é ser um empreendedor e coitado do pobre jovem que mal chegou ao mundo, e já tem que enfrentar uma barra dessas, ser um sucesso, custe o que custar.

 

 

Diante de tantos discursos quanto a como chegar a tal condição de empreendedor, chego a imaginar como seria um mundo cheio de empreendedores, e aí, quem vai trabalhar para quem? Quem será o burro de carga, o subserviente e o escravo do patrão? Melhor então seria dar um tiro na cabeça aquele que não atingir as tais metas empreendedoras, já que ele não mais terá o lugar neste mundo. Tornar-se-á um paria da sociedade moderna? Será que nós, adultos vacinados e sacramentados, já tivemos a sensatez de perguntar a esses jovens de hoje, se esse é o mundo que eles sonham ou desejam ou até quando enfiaremos goela abaixo todas as porcarias, só porque as consideramos necessárias?

 

 

Também acredito que maioria das pessoas apenas passa pela vida entendendo uma porção de diversas coisas, naturalmente mais das outras pessoas do que das próprias, porém, alguns outros poucos, no entanto e não sei como, conseguem compreender a profundidade o que a vida os proporciona e, por mais incrível que isso possa parecer, geralmente essas pessoas que não tem medo de errar, também cometem tropeços à barbárie e assim mesmo conseguem aprender com elas, e isso muitas vezes não é medida por aquilo que falam ou escrevem, mas sim pelo seu gesto diante das diversas circunstâncias que envolvem a sua vida e principalmente a de outrem.

 

 

Não sei se um dia conseguirei a tudo isso compreender ou até mesmo se vou ou não aprender com meus erros, pois esse é o X de toda a questão, mas se assim mesmo eu apenas continuar a somente entender, quem sabe ainda me sobre um espaço para escrever um livro, muito provavelmente de autoajuda naturalmente, que eu tanto meto o sarrafo e acabo dessa magnífica forma virando uma celebridade, entenderam ou compreenderam?

 

Mundo Maluco

Poeta - Moacir Franco

Canto - Moacir Franco

 

 

Não, não posso parar,

Se paro eu penso,

Se penso eu choro.

Choro porque não consigo saber

Quando o mundo terá mais juízo,

E a face da terra se ver livre

Pra sempre da eterna ameaça da guerra.

Quando será minha gente,

Que esse velho caduco,

Esse mundo maluco,

Compreenda a beleza

O segredo da vida.

Um abraço de mais

Uma prece de amor

Para um mundo de paz

Eu canto, eu choro, eu grito

E o mundo tão bonito

Não consegue me entender

Será que eu sou um maluco

Ou maluco é o mundo

Onde deus me fez viver

Não, não posso parar,

Se paro eu penso

Se penso eu choro

Ah se o mundo pudesse

Se a gente tivesse

Em vez de marmanjo

Crianças mandando

No céu desse mundo

As estrelas seriam

Sementes de flores

Não nem guerra nem bomba

Nem muro nem nada

Um mundo de riso

Da minha calçada

Da terra que eu amo

Da rua onde eu moro

Do céu que me cobre

Do amor que me espera

Eu canto, eu choro, eu grito

E o mundo tão bonito

Não consegue me entender

Será que eu sou um maluco

Ou maluco é o mundo

Onde deus me fez viver

Não, não posso parar

Se paro eu penso

Se penso eu choro.

 

Vídeo

 


Retornar

 


2008 - tvsinopse.kinghost.net - Todos os direitos reservados


 


 


 





 

tvsinopse@gmail.com