tvsinopse.

kinghost.net

 







 

tvsinopse@gmail.com

 

 


Eu me Amo


 

 

"Espelho, espelho meu, existe alguém mais belo do que eu?" Claro e evidente que não, pois formosura maior do que eu, somente eu. Tenho todas as virtudes humanas, sou lindo, gentil, amoroso, honesto, batalhador, empreendedor, carismático, alegre e jovial, totalmente diferente dos outros. Deus me criou e jogou a receita fora para que outra perfeição tal qual a mim, jamais existisse, assim penso, assim me amo.

 

 

Quando certo dia, o todo poderoso resolveu criar tudo isso que vemos e sentimos, o universo como um todo, e especialmente o planeta Terra, colocou aqui as coisas pra que tudo se encaixasse perfeitamente, e após a criação dos mares, da terra, das florestas e desertos, ele finalmente resolveu colocar a vida neste planeta.

 

 

A todos os animais terrestres ele deu o instinto da sobrevivência, e assim deu a chance da vida e da morte, até criar o homem, foi quando ele reparou que este ser era o único a não conseguir manter-se como espécie apenas pelo instinto, e assim sabiamente colocou nele o amor, pois somente desse jeito a espécie "hommus erectus imbecilis" poderia continuar e se perpetuar.

 

 

Por isso dizemos e não cansamos de falar que o amor é a coisa mais importante, cantada e sonhada desde os tempos imemoriais quando o homem começou a usar sua inteligência e raciocinar. Que me perdoem os jovens e os enamorados, mas infelizmente o amor não é tudo aquilo que se diz dele, pois tem outro lado dele que ninguém quer falar, todos a jogam debaixo de seus tapetes, é o seu lado cruel, ambicioso, assassino e principalmente egoísta.

 

 

Muitos duvidam que o verdadeiro amor exista, quanta bobagem, basta olharmos para nós mesmos e logo veremos que lá está ele. Ninguém ama mais do que a si próprio. O amor é que faz o homem ficar vivo, pois sem ela, seríamos uma espécie em extinção, já que ela nos cega, não nos faz enxergarmos como nós realmente somos, ela macula a nossa mente e faz com que sintamos o melhor de todos, e é através de dela que enxergamos apenas os defeitos alheios.

 

 

Mas, pra que? Pra aprendermos alguma coisa com isso? Que nada, é apenas pra nos fazer sentir melhor do que os outros. Todos os meus defeitos são pequenos perto dos seus. O amor é uma coisa somente nossa, de cada um de nós e toda pessoa a interpreta a sua maneira, assim como alguns dizem possuir muito, outros quase nenhuma e por incrível que pareça, aquele que menos fala de amor é o que geralmente faz mais pelos outros, pois o amor é um sentimento egoísta, e ela só diz respeito a nós mesmos.

 

 

Mentira quem disser que faz alguma coisa boa, pois ama outra pessoa, ele somente assim o diz por que faz bem a si próprio, pois quem a outro ama o sufoca, faz com que ela se torne espelho de si mesmo, já que você o que você ama na outra é exatamente aquilo existe em você mesmo. O amor é apenas mera confirmação.

 

 

Um marido não pode amar muito a sua mulher, senão transformará a vida dela num verdadeiro inferno, assim como não pode também com seus filhos, pois logo o tratará de superprotegê-lo para assim cobrar dele a sua semelhança, que ele se torne algo muito parecido com aquilo que você é, já que se considera o melhor de todos.

 

 

Naturalmente e logicamente que muitos não acreditam naquilo que estou dizendo, e estão até pensando, mas que blasfêmia, que sujeito mais ignorante, que imbecil. Então perguntem aos seus médicos, aos psiquiatras que tanto entendem da vida de outra pessoa, o que acontece quando a pessoa para de amar a si próprio. Ele começa a morrer, sua autodefesa se enfraquece, entra em stress extremo, e quando não suportar mais a falta de amor que ele tem para consigo mesmo, ele fatalmente pulará do primeiro prédio que tiver a sua frente.

 

 

Amar não é verbo intransitivo, é um substantivo, um sujeitinhoindefinido, no singular, sem circunflexo, inclusive com todos os seus predicados e pecados, e assim que tem de ser, é um meio de sobrevivência. Os poetas, os românticos, os literatos adoram falar do amor porque eles sabem o que é o amor. É o leitor que não compreende o autor. Quando Shakespeare criou a obra Romeu e Julieta, não foi para exaltar a paixão interminável entre eles, mas pra mostrar a todos que o amor mata. Só que nós no amamos tanto que não queremos ver dessa forma, então interpretamos de outro modo.

 

 

Muitos pensam que o Todo Poderoso se sacrifica pelo amor aos homens, pura mentira. O Todo Poderoso se sacrifica pelos homens pela vida e não pelo amor. O Todo Poderoso somente deu amor aos homens porque ele não tinha alternativa, depois da tremenda falha que havia cometido. Mas, ele também não é tão ruim assim, por isso pra compensar também nos deu outras grandes virtudes e muito mais belas, mas que os homens não lhes dão a menor pelota, despreza e prefere colocar o amor acima de tudo.

 

 

A gentileza, a bondade, a fraternidade, o calor humano, o perdão, a humildade, a solidariedade, a benevolência, todos eles são gestos belos, mas coitados ficam sempre relegados em terceiro ou quarto plano, pois tudo é em nome do amor. É lógico que você não acredita no que estou lhe contando, passe então a reparar nas pessoas, quanto mais eles dizem ter amor, menos compaixão e carinho têm por outros, pode até ser que tenham pelos seus cachorrinhos ou gatinhos, que bonitinhos, mas evidentemente que não são pelos outros seres humanos.

 

 

De vez em quanto os noticiários, filmes ou um romance nos mostra um homem se abdicando de sua própria vida para salvar a de outra pessoa e isso me faz pensar. O que leva aquele homem a dar seu lugar para que outro possa sobreviver. O que faz com que um bombeiro arrisque sua própria vida pra salvar a de outro. O que faz uma professora, de lá dos canfundó, acordar bem cedo, caminhar horas e horas para ensinar algumas crianças perdidas num cafezal qualquer. Certamente não é o amor, e sim vida, eles querem dar mais vida aos outros.

 

 

Então, pelo amor de seus filhinhos, parem de exaltar tanto esse maldito, senão ele vai ficar muito mais mascarado, mais convencido do ele já é. Abaixo o amor e "Viva a la Vida", esta sim merece todos os louvores. Como diz o ditado popular “o amor é uma flor roxa que nasce nos corações dos trouxas”, e isso que ela é e nada mais.  É claro e evidente que tudo isso sobre o amor é pura brincadeira, um mero passatempo, pois todos nós sabemos que o que leva um homem ou uma mulher a ter dificuldade para declarar seu amor a outra pessoa, é porque é difícil, complicado, dá um nó na garganta, porque ela é muito importante.

 

 

Somente aquilo que não damos a menor importância é que se fala a dar no pau, gastamos de qualquer maneira. Ninguém vive dando dinheiro de qualquer jeito a qualquer um, e é porque ela custou muito sacrifício para consegui-la, muitas horas de trabalho, dinheiro não dá em árvore. Para os que já nasceram em berço de ouro talvez, mas para nós, pobres assalariados ela demorou muito até chegar as nossas mãos, por isso damos tanta importância e não saímos distribuindo a torto e direito.

 

 

Com o amor e uma infinidade de outras de palavras é a mesma coisa. Ela nos custa caro, demora muito até chegarmos a ela, às vezes levamos a vida inteira para finalmente compreendermos o seu verdadeiro sentido e significado. Talvez para isso seja necessário também compreender o ódio, assim como pra apreciar o frescor é preciso passar pelo calor e pra ter paz é preciso cuidar do sofrer, e assim por diante.

 

 

Se pensarmos numa pirâmide não saberia dizer em que colocação o amor se encontraria, se no topo ou no meio, mas tenho quase certeza que para escalarmos até ela, por muitas outras deveremos passar, assim como lá chegar não será tarefa das mais fáceis, mas tenho o pressentimento que se tentarmos já será de grande sabedoria. Entretanto, antes ao amor chegarmos será necessário compreendermos muitas outras coisas.

 

 

Entre elas certamente estarão à gentileza - cuidado para não confundir com apenas fazer;

humildade - não confundir com subserviência;

ter dúvidas- não confundir com incapacidade;

ambição - não confundir com ganância;

pensar grande - não confundir com arrogância;

paciência - não confundir com lerdeza;

simplicidade - não confundir com praticidade;

ensinar - não confundir com mostrar-se;

compartilhar - não confundir com apropriar-se,

entre outras e, finalmente viver para saber morrer.

Assim se inicia a escalada ao amor.

 

"Espelho, Espelho meu, existe alguém mais belo do que eu?"

 

 

Texto - Pesquisa - Criação = Osamu Nakagawa

 


 

Retornar

 


2008 - tvsinopse.kinghost.net - Todos os direitos reservados


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net

 







 

tvsinopse@gmail.com