tvsinopse.

kinghost.net

 







 


Marquise


 

 

Tudo começou numa noite quando um homem vinha voltando de uma festa na casa de um colega de trabalho, pois era o dia de seu aniversário. Lá ficou até as tantas e como havia ido de taxi, pois justamente naquele dia o seu carro resolvera causar problemas e não funcionar, assim sendo resolveu sair um pouco mais cedo da festa e voltar para casa, já que uma chuva se anunciava. Quando estava na rua algumas gotas de chuva e alguns relâmpagos começaram a aparecer no céu escuro da noite, e geralmente quando uma chuva acontece encontrar um taxi é sempre uma coisa quase impossível, e assim ficou a rezar para que a chuva não viesse logo, mas infelizmente ela veio.

 

 

Logo uma chuva torrencial começou a cair e sem encontrar um taxi sequer não teve outra escolha senão correr até que finalmente encontrou uma pequena sacada de uma loja que já estava fechada, mas o suficiente para se abrigar, pelo menos da chuva mais grossa e lá permaneceu até que outra pessoa, uma mulher também veio correndo para se abrigar debaixo daquela pequena marquise. Lá os dois permaneceram, a chuva começou a apertar e foi quando o homem começou a reparar na mulher ao lado, que devia ter seus 25 anos de idade e quase sua mesma idade, estava muito molhada, encolhida, tremendo de frio e mesmo de longe se podia perceber que ela estava a bater os dentes. Então se aproximou, retirou seu casaco e delicadamente colocou-a sobre o seus ombros. Ela olhou no início com espanto, mas logo percebeu que ele só queria ajudá-la e então lhe agradeceu com um sorriso tímido, e assim permaneceram um ao lado do outro em completo silencio esperando a chuva se acalmar.

 

 

Com o passar do tempo ele também começou a sentir muito frio e quando ela percebeu resolveram que talvez fosse melhor ficarem mais próximos para um sentir o calor do outro e assim o fizeram na mais pura inocência. A chuva continuava a cair e parecia que ia durar a noite toda, nenhum taxi a passar por perto, nem mesmo alguém com um guarda chuva para levá-los a outro lugar. Com o passar do tempo se abraçaram para sentirem-se mais aquecidos e foi nesse momento que ele começou a sentir o perfume que vinha de seu cabelo molhado e o mesmo aconteceu com ela ao também sentir o perfume do corpo dele, e assim os dois por certo momento ficou a respirar um pouco mais ofegante um ao lado do outro, até que os olhares começaram a se cruzar.

 

 

Foi somente então que ele percebera o quanto era linda, tinha uns olhos grandes e escuros, uma boca carnuda e uma pele muito, muito branca. Ficaram um tempo olhando um para o outro até que finalmente seus lábios se aproximaram e um longo beijo repentinamente nasceu. Depois veio o segundo e o terceiro, parecia que não queriam parar de beijar, mas logo a chuva começou a parar e lentamente e silenciosamente se afastou um do outro, depois ela retirou o casado e o devolveu. Após alguns instantes a chuva praticamente parou e então se despediram calados e cada um foi cuidar de sua vida. Na noite seguinte ele não conseguia pensar naquilo que havia acontecido só então deu conta que ao despedir não havia perguntado seu nome, nem onde morava, nem nada, a única referencia que tinha dela eram aqueles beijos, nem mesmo sequer um dos seus sapatos como naquele famoso conto de fadas restara.

 

 

Do outro lado da cidade ela também não conseguia se esquecer das coisas que havia acontecido, assim sendo logo ao acordarem os dois começaram a vasculhar na Internet, nas revistas, enfim onde a imaginação deles o levasse para tentar descobrir o paradeiro um do outro, e naturalmente que tudo acabava em nada, pois era improvável encontrar alguém numa cidade tão grande como aquela, sem ter alguma referencia palpável, isso era quase impossível. Mesmo assim toda vez que uma chuva torrencial prenunciava à noite, ele e ela corriam para debaixo daquela marquise, mas o destino sempre os fazia chegarem a diferentes momentos e eles nunca conseguiam se encontrar.

 

 

Essa história de procura nas noites de chuva virou uma obsessão para os dois por um longo período, mas com o passar do tempo, tanto um quanto o outro aos poucos foi desistindo da procura. Certo dia quando ele foi para o trabalho e entrar num bar para tomar um café como fazia todos os dias, de repente uma notícia na televisão chamou a sua atenção, levantou os olhos curioso, pois falava de uma moça sem os documentos que havia sido encontrada desmaiada na noite passada de chuva torrencial debaixo daquela mesma marquise e levada ao hospital próximo. Rapidamente e desesperadamente, e sem mesmo pagar pelo café, ele saiu apressado e foi ao hospital, contou a enfermeira que talvez soubesse de quem era ela e se podia vê-la, entretanto a enfermeira não o deixou, pois ele não sabia sequer dizer o nome dela e nem mesmo que era um parente ou um vizinho próximo, mas um médico que estava próximo e ouvira a conversa achou que fosse útil para ela ver um rosto talvez conhecido, pois estava tremendamente deprimida e negava-se a dar maiores informações sobre ela.

 

 

O médico levou-o até o quarto em que ela se encontrava e deixou os dois a sós. Ela ainda permanecia dormindo, mas ao aproximar percebeu que aquela mulher mesmo tendo quase a mesma idade e aparência, infelizmente não era ela, e assim deu as costas e quando ia indo embora escutou ela perguntar quem era e o queria. Ele se voltou e disse que viera por causa de um conto de fadas, pediu desculpas e disse que ia embora, mas repentinamente e inexplicavelmente sentou numa cadeira próxima e começou a contar os acontecimentos da marquise. Ela escutou toda a história de costas para ele sem demonstrar quase nenhum interesse. Assim que terminou e como ela permanecia ainda de costas e calada, se levantou e resolveu ir embora, mas ao dar dois passos adiante ela resmungou baixinho que nunca ouvira tamanha bobagem, e pela primeira vez ele começou a achar graça de todo seu drama e começou a dar risada da sua maluca história, assim como repentinamente ela soltou o seu primeiro e tímido sorriso.

 

 

Depois uma longa conversa seguiu entre os dois, descobriu que ela havia tomado uns comprimidos para se suicidar, pois nada na sua vida estava dando certo, mas na logo depois se arrependeu ou teve medo de morrer e saiu de casa desesperada debaixo daquela chuva e quando chegou debaixo daquela marquise apagou e ao acordar estava naquele leito de hospital. Ela morava sozinha numa casa alugada, seus pais moravam numa pequena cidade do interior e havia vindo para a cidade junto com seu namorado e ambos pensavam em construir uma nova vida, mas ele se apaixonou por outra mulher e deixou-a. Depois outros namorados aconteceram que sempre terminaram em brigas e desentendimentos, e agora estava sem emprego, quase não tendo sequer que comer, tentou pedir socorro aos seus pais, porém seu orgulho não deixava, pois havia saído de sua casa contra a vontade deles, e desesperada tentou se matar.

 

 

Assim ele passou a visitá-la todos os dias até receber alta no hospital e depois passou a ajudá-la de todas as formas possíveis, conseguiu um novo emprego para ela e se tornaram bons amigos, depois bons namorados e finalmente marido e mulher para o resto de suas vidas. Eles voltaram para a cidade dos pais dela, que a receberam de braços abertos e lá abriram um pequeno negócio, tiveram filhos e lá permanecem até os dias de hoje, e a história da marquise virou apenas uma coisa gostosa a lembrar em noites de chuva torrencial.

 

 

A outra mulher da marquise que também procurou por ele por muito tempo também acabou desistindo, mas certa noite de muita chuva torrencial, sem querer teve de passar com seu carro novamente defronte daquela marquise e de repente deu uma tremenda freada ao ver um homem todo encolhido exatamente naquele mesmo local. Rapidamente e desesperadamente saiu do carro e correu em direção a ele, e ao chegar a um passo de abraçá-lo, o homem que estava de costas virou-se e só então ela se deu conta que não era, mas sim outra pessoa da mesma idade e coincidentemente com uma jaqueta muito parecida.

 

 

O homem rapidamente percebeu que ela levara um susto e logo tratou de pedir desculpas e disse que estava debaixo da marquise porque a chuva o pegara desprevenido ao voltar do trabalho. Ela deu um sorriso tímido, virou-se para ir embora, mas ao dar dois passos voltou-se novamente para aquele homem e perguntou se queria uma carona até um ponto de taxi ou outro local qualquer, e naturalmente ele aceitou. Já dentro do carro os dois permaneceram em silencio por certo tempo até que ela começou a sentir nele o aroma de um perfume muito parecido ao daquele dia embaixo da marquise.

 

 

Depois de alguns instantes ela disse que adorava aquele perfume que ele estava usando e logo em seguida começou a rir bem alto e perguntou se gostaria de escutar uma história muito doida e ele respondeu que adorava coisas malucas. Assim a conversa se estendeu até um bar próximo, depois se tornaram bons amigos, bons namorados e finalmente marido e mulher, tiveram filhos e a marquise é hoje apenas uma boa lembrança de como eles se conheceram.

 

 

Assim geralmente são todos os casos de amor e paixão, de idas e vindas, de encontros e desencontros e todos tem o seu a se lembrar. Algumas delas são muito bobas, outras já são bem mais interessantes ou intrigantes, mas no fundo todos são histórias, não importa se boas ou ruins, que sempre farão parte de qualquer encontro casual. Evidentemente que nem todas são tão amalucadas como daqueles dois, mas essa marquise em noites de chuva tem ainda muitas outras histórias a contar, mais do que se possa imaginar.

 

Retornar/Outros

 

 


 

 



 

tvsinopse.

kinghost.net